Blog Grid
Notícias

Os primeiros testes de Antonio Giovinazzi para a "vida pós-Fórmula 1" em 2022

Emanuel Colombari 02/12/2021 • 12:38
Imagem: ABB FIA Formula E/Site oficial
Imagem: ABB FIA Formula E/Site oficial

Na reta final de sua (última?) passagem pela Fórmula 1, Antonio Giovinazzi vem se adaptando aos novos desafios que terá na Fórmula E.

Companheiro do brasileiro Sergio Sette Câmara na Dragon/Penske a partir de 2022, o piloto italiano realizou nesta semana seus primeiros testes com o carro da nova equipe.

Foram dois dias de atividades no circuito Ricardo Tormo, em Valência (Espanha). Tempo suficiente para descobrir algumas novidades a bordo do Penske EV-5.

Leia também:

“É tudo completamente diferente, mas eu estava esperando por isso”, disse o italiano, titular da Alfa Romeo na Fórmula 1 entre 2019 e 2021, em entrevista coletiva na terça-feira (30).

“Na segunda-feira (29), tive minhas primeiras voltas com o carro, e hoje (terça, 30) foi nossa primeira simulação de corrida, então a oportunidade está aí para aprender muitas coisas”, acrescentou, mirando “mais dois meses de trabalho” para continuar evoluindo.

Entre as novidades na nova categoria, a falta de barulho dos motores elétricos foi uma das que mais impressionaram o italiano. Mas não a única.

“Eu pilotei muitos tipos diferentes de carros, da LMP2 ao GT e à Fórmula 1, e então entrei nesse carro e tudo parece tão diferente – especialmente a frenagem, o downforce e a falta de barulho. Eu esperava que seria bem difícil, mas é ainda mais difícil.”

Imagem: ABB FIA Formula E/Site oficial

Nos dois dias de testes, em 29 e 30 de novembro, Antonio Giovinazzi deu 147 voltas no circuito valenciano. No primeiro dia, foi o 15º mais rápido (entre 22 pilotos), a 2s512 da melhor marca do dia: 1min26s769, de Antonio Felix da Costa.

No dia seguinte, foi o 17º, mas com um desempenho melhor: ficou 0s849 do melhor tempo do dia, 1min26s045, do belga Stoffel Vandoorne. Agora, o foco é nas duas últimas corridas que tem pela frente com a Alfa Romeo na F1, na Arábia Saudita e em Abu Dhabi.

Depois disso, despede-se do time, que contará com o chinês Guanyu Zhou em seu lugar. O companheiro de Zhou será o finlandês Valtteri Bottas, substituto de Kimi Raikkonen, que se aposenta no fim do ano.

Com a estreia da temporada 2022 da F-E marcada já para janeiro, com uma rodada dupla em Riad (Arábia Saudita), Giovinazzi corre para se adequar ao novo time. “Ainda tenho que correr pela Fórmula 1, e então teremos o Natal. Mas quero conseguir muita quilometragem no simulador e trabalhar. Não é muito tempo, e a gente sempre quer mais, mas é assim que as coisas são”, disse.

Emanuel Colombari

Emanuel Colombari é jornalista com experiência em redações desde 2006, com passagens por Gazeta Esportiva, Agora São Paulo, Terra e UOL. Já cobriu kart, Fórmula 3, GT3, Dakar, Sertões, Indy, Stock Car e Fórmula 1. Aqui, compartilha um olhar diferente sobre o que rola na F-1.