Fórmula 1

Bottas revela que quase abandonou a F1 após 2018: "Cheguei muito perto"

Após três vitórias na temporada de estreia pela Mercedes, em 2017, finlandês viveu jejum no ano seguinte, desempenhando papel de escudeiro de Hamilton

Da redação 22/06/2022 • 11:50 - Atualizado em 22/06/2022 • 12:12
Valtteri Bottas e Lewis Hamilton no GP da Rússia de 2018
Valtteri Bottas e Lewis Hamilton no GP da Rússia de 2018
Reuters

Valtteri Bottas revelou que quase abandonou a F1 ao fim da temporada de 2018, em seu segundo ano de Mercedes, por ter ido parar em um “lugar obscuro”. 

O finlandês chegou à equipe alemã em 2017 após o campeão do ano anterior, Nico Rosberg, anunciar a aposentadoria de forma inesperada. 

Bottas chegou a vencer três corridas naquele ano, mas não foi o suficiente para desafiar o companheiro Lewis Hamilton pelo título. Na temporada seguinte, Valtteri não venceu nenhuma prova, e acabou sendo usado de escudeiro do heptcampeão na disputa com Sebastian Vettel e Ferrari. 

“No final de 2018 quase parei. Cheguei muito perto. Só porque eu não conseguia entender e aceitar o fato de que não consegui vencer Lewis naqueles dois anos. Eu coloquei muita pressão em mim mesmo. No final de 18, especialmente quando comecei a ter o papel de escuderio, foi muito difícil. Sofri muito. Não foi divertido”, revelou em entrevista ao podcast “My Big Break”, do grupo Motorsport.com. 

Segundo o finlandês, não se tratava apenas de sair da equipe, mas de abandonar o esporte. 

“Para mim era o limite. A mente humana é estranha. Às vezes você vai para um lugar obscuro e perde a alegria. Eu perdi com a F1 e em correr na F1. Eu estava quase irritado com a F1”, analisa. 

O finlandês acabou mudando de opinião após as férias de 2019, no início daquele ano. 

"Eu precisava de um tempo longe. Comecei a pensar de uma forma mais ampla e ver que era um esporte incrível e que eu ainda tinha grandes oportunidades no futuro", relembra.

E a vitória da primeira corrida da temporada de 2019 foi justamente de Bottas, que desabafou com uma mensagem pelo rádio que dizia mais ou menos “a quem interessar possa, vá se f….”. Que ele diz ter sido direcionado a ele mesmo por se deixar invadir por negatividade, mas também para os críticos que afirmavam que ele não tinha condições de guiar pela Mercedes. 

“Agora, quando olho para trás, foi uma ótima escola para mim, aprendi muito sobre mim mesmo, para me dar mais controle, para não ser muito duro comigo mesmo. Aprendi tanto que estou muito feliz por ter acontecido. Nesse tipo de momento, eu só quero dizer às pessoas para sempre olharem para o quadro geral. Se você se sentir um pouco ansioso na vida, dê um passo para trás, sempre há muito mais para conseguir se você não desistir”, diz. 

Em cinco anos de Mercedes, de 2017 a 2021, Bottas venceu 10 vezes, conquistou 20 pole positions e subiu ao pódio em 58 oportunidades. Porém, o finlandês nunca teve uma chance real de bater o companheiro Lewis Hamilton, que superou o Valtteri em todas as cinco temporadas que ambos correram pela equipe alemã. Hoje, Bottas guia pela Alfa Romeu e ocupa o 8º lugar, com 48 pontos.