Fórmula 1

CEO torce por uma Fórmula 1 ainda mais equilibrada no futuro

Em entrevista exclusiva na manhã deste domingo (14), Stefano Domenicali diz que sonha com um grid com mais disputas

Da Redação, com Show do Esporte 14/11/2021 • 11:47 - Atualizado em 14/11/2021 • 13:11

Em entrevista exclusiva na manhã deste domingo (14) para o Grupo Bandeirantes de Comunicação, o CEO da Fórmula 1, Stefano Domenicali, comemorou o retorno da categoria a Interlagos, depois de um ano por causa da pandemia de Covid-19.

Perguntado sobre a importância do Brasil dentro do calendário da Fórmula 1, Domenicali fez questão de lembrar que a parceria entre o país e a categoria, sempre foi de muito sucesso: “Bom, primeiramente nós não podemos pensar na Fórmula 1 sem o Brasil. Nós temos tantas corridas e histórias aqui, eu fui testemunha nas equipes que eu trabalhei”, disse Stefano.

Ao ser questionado sobre a importância da transmissão da categoria acontecer em televisão aberta, e de grande abrangência de público, Domenicali não poupou elogios ao Grupo Bandeirantes e em bom português fez questão de agradecer: “O trabalho que está sendo feito, é algo muito importante para Fórmula 1. A transmissão na televisão aberta é onde atingimos um grande público e onde formamos o nosso público. Vocês estão fazendo um trabalho espetacular”, afirmou. “Obrigado!”, completou, em português.

Nascido em Imola, local onde ocorreu Grande Prêmio da Emilia Romagna, temporada, o italiano de 56 anos, Domenicali foi o sucessor de Jean Todt na Ferrari, antes de se tornar o atual CEO da Fórmula 1, ao ser questionado como é estar na posição de tomada de decisão que envolve os rumos da categoria, Domenicali foi simples.

“Eu estou numa posição, onde eu tenho uma visão muito clara que você pode ser você mesmo. E que a gente tem que ser responsável pelo esporte. Mas é muito simples, você só tem que ser você mesmo, ouvir todas as pessoas de forma construtiva, ser muito justo”.

Por fim, e esbanjando simpatia, Domenicali fez questão de lembrar que tem um coração ‘brasiliano’ ao lembrar da convivência com Felipe Massa no tempo em que esteve à frente da Ferrari.