Fórmula 1

De C1 a C5, de branco a vermelho: como são os pneus da Fórmula 1 atual?

Importantes a cada etapa, os compostos podem ter papel decisivo; entenda

Da Redação 10/11/2021 • 10:59 - Atualizado em 11/11/2021 • 11:12
Importantes a cada etapa, os compostos podem ter papel decisivo; entenda
Importantes a cada etapa, os compostos podem ter papel decisivo; entenda
Pirelli/Divulgação

Eles podem ser decisivos. Numa disputa tão acirrada nesta reta final de temporada entre Max Verstappen e Lewis Hamilton, tudo pode ser resolvido nos mínimos detalhes, onde até a escolha dos pneus por cada piloto pode ser a chave para o fracasso ou o bom resultado.

E para que não haja nenhum favorecimento, a Pirelli definiu os compostos para cada prova antes mesmo do inicio da temporada, mantendo uma política que vem desde o ano passado.

Assim, com as dificuldades de logística e os prazos menores, a fabricante italiana se previne ainda para eventuais mudanças no calendário em 2022 - ao menos no papel são 23 GPs, recorde na categoria. Especialmente em um ano em que terá de desenvolver os pneus aro 18 para a nova geração de máquinas do circo.

A cada grande prêmio, como em 2020, cada piloto conta em 2021 com dois jogos do composto mais duro; três do médio e oito do mais macio. A cada etapa, você certamente vê que a Pirelli optou por compostos como C1, C2 e C3, ou C2, C3 e C4, ou até C3, C4 e C5.

Mas o que são esses ‘Cs’ que confundem um pouco o fã de Fórmula 1 na hora de saber qual o pneu aquele piloto escolheu para ir à pista? A gente explica!

C1

O C1 significa Composto 1. É o pneu mais duro na gama Pirelli para 2021, sendo ele ideal para circuitos que exigem maior esforço do pneu - que normalmente apresentam curvas rápidas, superfícies abrasivas ou temperaturas ambientes altas. Tem maior durabilidade, mas em contrapartida em algumas situações ele pode ser o pesadelo dos pilotos pela demora em aquecer e ter uma maior aderência ao asfalto. Ele é identificado apenas pela faixa branca. 

C2 

O Composto 2 é o mais versátil, pois se encontra na extremidade mais dura do espectro. Este pneu se destaca em circuitos que tendem a altas velocidades, temperaturas e energia. Este composto é um dos mais usados pelas equipes e pilotos pois apresenta uma boa gama de trabalho e adaptabilidade a uma grande variedade de circuitos. Pode ter a lateral pintada em branco ou amarelo.

C3

Talvez o preferido de todos. O Composto 3, é o que une o equilíbrio entre desempenho e durabilidade, com ênfase na performance. Pode ser usado como um pneu de composto macio, em uma pista de alta severidade, bem como um pneu de composto mais duro, em uma pista de baixa severidade ou em um circuito de rua. É um dos compostos mais utilizados ao longo da temporada. Você o verão em branco, amarelo ou vermelho.

C4

O Composto 4 tem como característica funcionar bem em circuitos estreitos ou curtos e sinuosos. De rápido aquecimento, tem um grande pico de desempenho, mas vida útil de curta duração. Para essa temporada ele foi aprimorado para deixá-lo mais versátil e menos vulnerável ao superaquecimento. É sempre amarelo ou vermelho.

C5

O Composto 5 é o herdeiro do universalmente conhecido como hipermacio. É o mais rápido da Pirelli, e por isso também é pouco utilizado por conta da sua curtíssima vida útil, sendo ele adequado para circuitos que demandam os mais altos níveis de aderência. É invariavelmente identificado pela faixa vermelha.

Como são definidas as cores?

A cada etapa, a Pirelli escolhe três tipos de compostos para fornecer a todas as equipes. Dependendo das características das pistas, eles podem ser mais duros e resistentes, ou mais macios e com menor duração.

Como os três tipos de pneus são diferentes entre si a respeito da durabilidade, são identificados com cores. Assim, o composto mais duro entre os três fornecidos é sempre apresentado com a faixa branca, enquanto o mais macio é sempre identificado com a faixa vermelha. Os pneus intermediários são amarelos.

Isso quer dizer que o pneu branco de uma corrida pode não ser o pneu branco da outra corrida. Em uma prova com compostos mais duros, o pneu branco seria o C1, o pneu amarelo seria o C2 e o pneu vermelho seria o C3. Já em uma pista com as escolhas mais macias, o pneu branco seria o C3, o pneu amarelo seria o C4 e o pneu vermelho seria o C5.

E para pista molhada? Como funciona?

Pneu intermediário (verde)

Os intermediários são os pneus mais versáteis de chuva. Usados em pista molhada sem água parada, bem como superfícies que estão secando. Ele tem a capacidade de drenar cerca de 30 litros de água por segundo por pneu a 300 km/h. Ele pode ser visto em diversas corridas ao longo desta temporada.

Pneus de chuva (azul)

Os pneus de faixa azul são mais efetivos na chuva forte. Com capacidade para drenar 85 litros de água por segundo por pneu a 300 km/h ele só é indicado para uso quando a chuva é forte, falta de aderência podem causar problemas. Desenvolvido para aumentar a resistência à aquaplanagem. 

Grande Prêmio de São Paulo (horários de Brasília)

Sexta-feira (12)
12h20 - Treino livre 1 - ao vivo no Bandsports
15h30 - Treino classificatório - ao vivo na Band, Bandsports, Bandplay e site da Band

Sábado (13)
11h50 - Treino livre 2 - ao vivo no Bandsports 
16h - Corrida sprint - ao vivo na Band, Bandsports, Bandplay e site da Band

Domingo (14)
13h30 - Corrida - ao vivo na Band, Bandplay, BandNews FM e site da Band
19h - VT da corrida - Bandsports

Onde assistir?

Ao vivo na tela da Band e online no Bandplay e no band.com.br, com a narração de Sérgio Maurício, comentários de Reginaldo Leme, Felipe Giaffone, Max Wilson e Rubens Barrichello e reportagem de Mariana Becker.

Grid:

Valtteri Bottas e Lewis Hamilton (Mercedes), Charles Leclerc e Carlos Sainz (Ferrari), Max Verstappen e Sergio Pérez (Red Bull), Lando Norris e Daniel Ricciardo (McLaren), Lance Stroll e Sebastian Vettel (Aston Martin), Fernando Alonso e Esteban Ocon (Alpine), Pierre Gasly e Yuki Tsunoda (AlphaTauri), Kimi Raikkonen e Antonio Giovinazzi (Alfa Romeo), Mick Schumacher e Nikita Mazepin (Haas), George Russell e Nicholas Latifi (Williams).