Fórmula 1

A menos de um mês da estreia na F1, circuito da Arábia Saudita não está pronto

Imagens divulgadas pela própria categoria mostram que nem mesmo o asfalto da pista está completamente pavimentado

Da Redação 17/11/2021 • 13:42 - Atualizado em 17/11/2021 • 15:47
Vista do circuito de Jeddah, na Arábia Saudita, ainda em obras
Vista do circuito de Jeddah, na Arábia Saudita, ainda em obras
F1

A estreia do Grande Prêmio de Jeddah, na Arábia Saudita, está marcada para o próximo dia 5 de dezembro e será o penúltimo GP da temporada 2021 da Fórmula 1. Mas a pouco menos de três semanas para a realização da etapa, os diretores da categoria admitem que a pista ainda não está pronta.

O circuito de rua foi apresentado para os líderes da F1 em novembro de 2020 e foi imediatamente aprovado por conta do seu design “empolgante”. Em março de 2021, o traçado completo foi revelado para o público. O prazo de um ano para construção era considerado “acima do suficiente”.

Porém, imagens divulgadas nesta quinta-feira (17) pela própria Fórmula 1 indicam que a pista está longe de ficar pronta. A reta dos boxes não atingiu nem 50% das obras concluídas e o asfalto não foi completamente pavimentado.

Mesmo com o atraso, o diretor esportivo da categoria, Steve Nielsen, mantém o otimismo. “Será no limite. Mas eles deixarão tudo pronto. Teremos tudo que seja necessário para fazer a corrida com segurança. Tenho confiança disso”, disse o engenheiro em entrevista ao Motorsport.

A pista é descrita pela Fórmula 1 como a mais rápida entre os circuitos de rua (a velocidade máxima pode chegar a mais de 250 km/h), com 27 curvas e com uma vista “deslumbrante do Mar Vermelho”.

"É um projeto ambicioso, será uma ótima instalação. Mas eles têm um grande desafio pela frente. Eles estão trabalhando 24 horas por dia, sete dias por semana há algum tempo. Vi algumas fotos hoje cedo e o progresso parece ser grande. Mas ainda há muito a se fazer", afirmou Nielsen.

O CEO da Fórmula 1, Stefano Domenicali, também demonstrou confiança na conclusão das obras em entrevista ao Motorsport. Para ele, os promotores estão “dando o melhor de si” e o circuito terá um design único no automobilismo.

Veja também:

“Vocês verão o nível de investimento. Tenho certeza de que será perfeito na próxima temporada, mas que já será muito bom neste ano", assegurou Domenicali, que ainda admitiu que a corrida deste ano pode ser realizada sem alguns dos elementos arquitetônicos projetados.

“É possível, mas a pista estará pronta, a prioridade sabemos que está lá. Mas vocês verão o nível de espetáculo. Eles estão animados, será muito bom”.

Política da Arábia Saudita gera controvérsia

O Grande Prêmio de Jeddah não é uma unanimidade por parte dos pilotos e dos fãs. Desde que foi anunciada a adesão ao calendário da temporada, diversas associações humanitárias se manifestaram negativamente e acusaram o príncipe Khalid Bin Sultan Al Faisal de usar o esporte como propaganda para gerar uma ideia positiva da Arábia Saudita.

O alemão Sebastian Vettel (Aston Martin) criticou a Fórmula 1 por aceitar o “dinheiro impuro” desses países.

A Arábia Saudita fica localizada no Oriente Médio e tem como modelo político uma monarquia absolutista. O grupo que ocupa o poder, sunita, segue a doutrina uaabita, marcada por uma interpretação radical do Alcorão, o livro sagrado islã - e vive em intenso conflito com os xiitas. Muitas das bases políticas do país violam os direitos humanos – como as punições aos LGBTQs que vão desde multas até castração química ou pena de morte.