Fórmula 1

FIA altera regra para trocas de componentes do motor dos carros da F1 de 2022

Agora equipes poderão trocar componentes do motor em regime de "parque fechado" sem serem punidas com largada do pitlane

Da redação 29/06/2022 • 18:12
FIA promove alterações no regulamento de 2022
FIA promove alterações no regulamento de 2022
FIA

A Federação Internacional de Automobilismo (FIA) anunciou diversas mudanças relativas ao regulamento sobre a troca de componentes dos motores dos carros de 2022, temperatura de combustível e atividades de mídia. As alterações surgem em um momento em que várias equipes tem sofrido com façhas nas unidades de potência. 

Troca de motor em regime de parque fechado

Agora os times poderão trocar as unidades de potência dos carros entre a classificação e corrida, no chamado regime de parque fechado, sem que os pilotos sejam punidos (mas é preciso que as equipes não tenham estourado o limite do uso das peças que forem trocadas).  

Como era?

Antes, qualquer time que fizesse alterações no motor do carro no regime de parque fechado, automaticamente via seu piloto ser obrigado a largar do pitlane. 

Temperatura do combustível

Agora, em corridas mais quentes, os times poderão resfriar os combustíveis a 20°. A Red Bull, que sofreu no início do ano com bolhas causadas pela evaporação do combustível, foi vista em algumas corridas deixando os boxes de forma tardia para retornar o combustível à temperatura ideal. 

Como era? 

Antes, a temperatura mínima do combustível era de 10° mais baixa que a temperatura ambiente. No GP da Espanha, por exemplo, a temperatura chegou aos 35°. Então os times precisavam manter o combustível resfriado até pouco antes da corrida, quando colocavam o líquido no carro e precisavam esperar chegar à temperatura ideal para evitar punições. 

Atividades de imprensa voltam à quinta-feira

Outra mudança se dá na parte de mídia. A coletiva de imprensa, que em 2022 passou a ser às sextas-feiras, agora retornam para as quintas. A medida havia sido tomada para reduzir o número de profissionais das equipes na pista um dia antes das atividades, reduzindo também os custos. 

Contudo, a medida não surtiu efeito, e os profissionais das equipes continuaram a ir para a pista na quinta. Além disso, os pilotos reclamavam da correria na sexta-feira, já que além das atividades de mídia, ainda tinham que participar de dois treinos livres.