Fórmula 1

FIA determina que pilotos de Rússia e Belarus corram com bandeiras neutras

Medidas foram anunciadas após reunião da entidade nesta terça-feira (1)

Por Da redação

Medidas foram anunciadas após reunião da entidade nesta terça-feira (1) FIA
FIA

A FIA (Federação Internacional de Automobilismo) anunciou medidas nesta terça-feira (1) em resposta à invasão da Rússia ao território da Ucrânia. De acordo com a entidade, as decisões atendem às orientações do COI (Comitê Olímpico Internacional).

Conforme anunciado pela federação, pilotos da Rússia terão que participar de competições internacionais sem a bandeira do país, sob a bandeira da FIA, “sujeitos a compromisso específico e adesão aos princípios de paz e neutralidade política” da entidade. O mesmo vale para corredores de Belarus, país que é o principal aliado russo no conflito do Leste Europeu.

Além disso, “até novo aviso”, nenhum símbolo nacional russo ou bielorrusso deve ser exibido – cores, bandeiras – em uniformes, equipamentos e carros. Os hinos das duas nações também estão temporariamente vetados.

A decisão foi tomada após reunião do Conselho Mundial de Esporte a Motor da FIA nesta terça. A entidade havia sido pressionada por dirigentes a Ucrânia para cassar as licenças de pilotos dos dois países vizinhos, o que não aconteceu.

“Estamos solidários com Leonid Kostyuchenko, presidente da Federação de Automobilismo da Ucrânia (FAU) e com toda a família FIA no país. As medidas tomadas hoje reconhecem a autoridade da FAU na Ucrânia e também estão alinhadas com as recomendações feitas recentemente pelo Comitê Olímpico Internacional”, afirmou o presidente da FIA, Mohammed Ben Sulayem.

Desta forma, a Haas está proibida de usar as cores da bandeira da Rússia em seus carros para a temporada 2022 da Fórmula 1. Durante os testes da categoria em Barcelona (Espanha) na última semana, o time já havia retirado a marca da Uralkali – uma empresa russa de fertilizantes que patrocina o time – e participado das atividades com os carros majoritariamente brancos.

Além disso, a FIA oficializou o cancelamento do Grande Prêmio da Rússia de Fórmula 1 na temporada 2022 por “motivo de força maior”. A prova já havia sido provisoriamente suspensa do calendário na última sexta-feira (25), embora a organização da etapa acreditasse na possibilidade de organizar mediante solução rápida do conflito na região.

“A FIA está observando os acontecimentos na Ucrânia com tristeza e choque, e espera uma resolução rápida e pacífica para a situação atual. Condenamos a invasão russa da Ucrânia, e nossos pensamentos estão com todos aqueles que sofrem como resultado dos acontecimentos na Ucrânia”, afirmou Ben Sulayem.

“Estamos em discussões ativas com nossos membros enquanto continuamos a estender nossa compaixão e apoio em seu momento de necessidade. Esperamos sinceramente por uma resolução pacífica para suas dificuldades intoleráveis”, acrescentou.

Ainda em março, no Bahrein, a FIA deverá apresentar uma versão atualizada de diferentes calendários internacionais, promovendo alterações nas temporadas da Fórmula 1, da Fórmula 2 e de outras competições.

Outras punições

Entre as outras medidas, até segunda ordem, Rússia e Belarus também não poderão receber competições internacionais, e símbolos dos dois países – bandeiras e hinos – estão fora dos eventos.

Além disso, a FIA proibiu temporariamente que equipes nacionais dos dois países punidos participem de competições internacionais.

Membros russos e bielorrussos da FIA serão temporariamente afastados de suas funções e responsabilidades em comissões da entidade.

Notícias

Carregar mais