Esporte

Diniz explica decisão de quatro atacantes: "Na Copa tinha uma formação parecida"

O treinador comentou sobre a torcida, Messi e falou se a Seleção Argentina é a melhor

Redação

Diniz explica decisão de quatro atacantes: "Na Copa tinha uma formação parecida"
Joilson Marconne / CBF

O Brasil tem compromisso marcado contra a Argentina na noite desta terça-feira (21), no Maracanã, pelas Eliminatórias para Copa de 2026. O treinador terá um ataque formado por Raphinha, Rodrygo, Gabriel Jesus e Martinelli e explicou o motivo da decisão. 

 “Eu não enxergo o futebol da maneira que vocês enxergam, que se colocasse mais um jogador, um volante ou meia o time ficaria mais protegido. Não encaro assim. O Brasil na Copa do Mundo jogou com uma formação parecida. O Neymar, que também é atacante, dois pontas abertos, um centroavante, e o Paquetá, com característica mais ofensiva até do que o Bruno Guimarães. Tratam o quarteto como uma coisa inovadora, coisa que não é. O que muda é que tem um novo jeito de jogar, com mais agressividade, e a equipe vai se adaptando, isso leva um pouco de tempo." 

Diniz comentou sobre o clima de jogar pela Seleção no Maracanã: “Eu acredito que a Seleção que vai contribuir para o ambiente. Eu concordo que o Maracanã responde de maneira diferente quando as coisas não correm bem e, quando vai bem, eles respondem muito positivamente. Vai depender de como a equipe vai responder em campo. Espero que a gente consiga fazer grande jogo e marcar bem, a Argentina é uma equipe de muita qualidade, com um dos maiores  jogadores da história, ainda terminando sua linda história. Esperamos que a torcida consiga jogar junto, de acordo com o que apresentarmos em campo.” 

A preocupação de ter no time adversário um dos maiores atletas de futebol do Mundo, fez Diniz falar sobre as possíveis mudanças que podem rolar: “Sobre o meio-campo, não vejo assim, eles jogarem com três no meio. O futebol não é isso, os encaixes e a coesão é que vão favorecer ou não no decorrer do jogo. Lidar com o Messi é diferente, não tem como não se preocupar. Não podemos fugir nossas características, porém, ao mesmo tempo, tentar conter a capacidade e poder de decisão que ele tem."

Se não for a melhor, é uma das melhores

Ao ser questionado sobre a Seleção Argentina ser uma das melhores do mundo, Diniz falou o seguinte: “Se não for a melhor, é uma das melhores. Já faz um tempo, não só porque ganhou a Copa do Mundo. Tem jogadores nas maiores ligas, com destaque. E tem o Messi. É uma equipe que está jogando há muito tempo, ciclo vitorioso e que manteve uma base. Se não for a maior, está entre as três da atualidade. A gente tem noção disso e vai se preparar para fazer o melhor diante de um grande adversário.”

 

Mais notícias

Carregar mais