Jogo Aberto

Rodrigo Caetano exalta mecenas e “Galo protagonista” e descarta Daniel Alves

Diretor de futebol falou ao Jogo Aberto sobre a boa fase do Atlético-MG na temporada

Da Redação, com Jogo Aberto 21/09/2021 • 12:47

Em participação no Jogo Aberto desta terça-feira (21), o diretor de futebol Rodrigo Caetano admitiu a importância do chamado “4Rs” no sucesso do Atlético-MG na temporada 2021. Com status de “mecenas”, os empresários Rafael Menin, Rubens Menin, Ricardo Guimarães e Renato Salvador formam um colegiado na diretoria e apoiam o clube do coração financeiramente.

“Que bom que temos este órgão colegiado, que são apoiadores, não são investidores. Eles não miram retorno financeiro. Não querem rentabilizar através do Galo. Zero. São atleticanos apaixonados e empresários de sucesso que ajudam o clube nesta travessia. Sem eles não seria possível ter em outubro ou novembro do ano que vem o estádio novo, aliado a uma equipe competitiva e venda de atletas que aí façam o clube ampliar as receitas e depender cada vez menos deles”, disse o dirigente.

“Tenho certeza de que vários outros clubes gostariam de ter estes apoiadores pelo problema que enfrentamos, que é mundial, com a pandemia afetando a saúde a economia e no futebol não é diferente. É um grande aporte para o Galo conseguir caminhar lá na frente. Eles colocam recursos e cobram resultados, e isso não se aplica só ao futebol”, completou. 

Com a ajuda dos apoiadores, o Atlético-MG montou um dos elencos mais badalados do Brasil e está vivo em três frentes - semifinal da Copa do Brasil e da Libertadores e na liderança isolada do Campeonato Brasileiro. “É claro que gostaríamos de ganhar tudo, mas a gente não promete títulos. Só que este projeto é ambicioso. O Galo tem a obrigação de ser protagonista, e isso já está acontecendo e nos deixa esperançosos”, afirmou.

Rodrigo Caetano, porém, ressaltou que a maioria dos reforços para 2021 foram oportunidades de mercado. “Hulk e Diego Costa chegaram a custo zero. Dodô também estava livre no mercado, e o Tchê Tchê foi empréstimo. A aquisição mesmo foi o Nacho Fernández junto ao River Plate, um jogador com muitas características que buscávamos. Além do retorno do Nathan Silva, que parece que nunca saiu”, elogiou. 

O diretor de futebol evitou dar palpites para o duelo de ida desta terça contra o Palmeiras pela semifinal da Libertadores e comparou os projetos dos dois clubes. “O trabalho do Palmeiras já é de médio prazo. A gente está em reestruturação, começou no ano passado. Estão em etapas à nossa frente. Esperamos conquistar os títulos que eles conquistaram desde 2015”, disse. 

Por fim, Rodrigo Caetano tirou o Galo de uma lista de possíveis clubes interessados em Daniel Alves, que recentemente rescindiu com o São Paulo. “Ele tem uma trajetória vencedora, é um líder positivo, mas nem o estafe dele nos procurou e nem a gente procurou o estafe dele. Estamos satisfeitos com o elenco que temos e vamos lutar até o final”, concluiu. 

  • Futebol
  • Esportes
  • jogoaberto