Esportes

Lisca nega arrependimentos por saída do América-MG e passagem pelo Vasco

"Não tive uma boa temporada", lamentou o treinador em entrevista à Rádio Bandeirantes

Da Redação, com Rádio Bandeirantes 17/12/2021 • 16:29 - Atualizado em 04/01/2022 • 13:03

Convidado do programa Nossa Área, da Rádio Bandeirantes, nesta sexta-feira (17), o técnico Lisca conversou com o apresentador Elia Júnior e admitiu que não teve um ano de 2021 positivo profissionalmente

“A cada temporada que acaba a gente senta, reflete, avalia e analisa, e essa temporada realmente não foi boa, diferente dos outros anos quando estive no Ceará e no América-MG”, afirmou.

Após um ano e quatro meses no cargo, Lisca deixou o Coelho em maio, depois de perder os três primeiros jogos no Brasileirão. O time mineiro, porém, acabaria surpreendendo no torneio a ponto de conquistar pela primeira vez na história uma vaga na Libertadores.

“Trabalhar no América foi um presente”, disse o treinador, acrescentando que conversa até hoje com membros da diretoria e que não se arrepende por ter saído. “Todo ciclo tem um fim”. 

Depois de deixar o Coelho, Lisca assumiu o Vasco em julho, mas ficou apenas 12 jogos no cargo. “Também não me arrependo. Jamais me arrependeria de trabalhar num clube como o Vasco”, disse ele, que pediu demissão com a equipe apenas na nona colocação da Série B - o acesso de fato não viria ao fim da temporada.

“Eu sabia de toda a circunstância, das dificuldades estruturais, financeiras, de pegar o time no meio do campeonato… Tinha um aproveitamento de 43% e não era o que o clube precisava. Preferi abri mão. Depois veio o Fernando (Diniz), que começou bem, mas também teve queda de aproveitamento. Infelizmente eu não consegui (sucesso no Vasco) e ninguém tem conseguido”.

Na entrevista à Rádio Bandeirantes, Lisca também exaltou Cuca, campeão brasileiro e da Copa do Brasil pelo Atlético-MG e falou sobre os planos para 2022 e a “invasão” de treinadores estrangeiros. Veja a íntegra no vídeo acima.