Os Donos da Bola

Palmeiras: dirigente chama Endrick de “força da natureza” e não teme assédio

João Paulo Sampaio, coordenador da base do Verdão, falou ao Donos sobre a joia de 15 anos

Da Redação, com Os Donos da Bola 20/01/2022 • 13:39 - Atualizado em 21/01/2022 • 09:52

Coordenador da base do Palmeiras, João Paulo Sampaio participou do programa Os Donos da Bola desta quinta-feira (20) e falou sobre Endrick, joia do clube que voltou a roubar a cena ao marcar um golaço de bicicleta contra o Oeste, pela Copinha. 

“Ele é como uma força da natureza e sempre nos traz alguma coisa. Como água morro abaixo ou fogo morro acima não tem como segurar”, disse o dirigente. 

“O Endrick tem uma junção da genética com o talento e a técnica. Essa genética bem desenvolvida a gente não dá, ele tem, como era com o Ronaldo ou Ronaldinho quando tinham 16 anos”, completou. 

Os golaços de Endrick, de apenas 15 anos, na Copa São Paulo têm rodado o mundo e clubes como o Barcelona já estariam interessados no atleta. João Paulo, porém, está tranquilo em relação ao assédio à joia palmeirense. 

“A gente trouxe o Endrick aos 11 anos, com emprego ao pai e ajuda de custo para trazer a mãe também. Sempre tratamos eles e os empresários de forma justa e honesta. Além disso, tem a lei. O Endrick só pode ir para o exterior aos 18 anos. Não é como o Messi, que foi aos 12 e ninguém conhecia. O Endrick é conhecido mundialmente. Se for clube brasileiro tem que pagar R$ 20 milhões. Nenhum clube vai querer comprar essa briga. Somos protegidos pelo contrato de formação”, afirmou. 

O jovem atacante deve assinar seu primeiro contrato profissional com o Verdão em julho, quando completar 16 anos e a lei permitir o vínculo. “Estamos tranquilos. Ele e a família falam da intenção de virar ídolo do Palmeiras. Temos um prazo para fazer o contrato e está tudo bem encaminhado”, concluiu João Paulo.