Os Donos da Bola

Fim do tobogã, prédio multiuso e público de 26 mil: Donos explica “novo Pacaembu”

Tradicional estádio paulistano está passando por reforma que deve demorar 28 meses

Da Redação, com Os Donos da Bola 02/07/2021 • 13:26 - Atualizado em 02/07/2021 • 13:44

O programa Os Donos da Bola foi ao Pacaembu nesta sexta-feira (02) e mostrou as reformas do estádio depois que a demolição do tradicional tobogã gerou comoção nas redes sociais. Eduardo Barella, CEO da Allegra Pacaembu, que ganhou a concessão do local por 35 anos, explicou a decisão.

“O tobogã é parte importante do estádio, não temos dúvidas. Mas para que o estádio possa ter viabilidade econômica, ele precisa de um uso cotidiano. O Pacaembu não é de nenhum clube. Hoje é um lugar de passagem. As pessoas vêm e vão embora. Não há nada a oferecer”, disse.

No lugar do velho tobogã será erguido um prédio multiuso. “Ele terá bares, restaurantes, academia, espaço de entretenimento... Algo similar ao que acontece em arenas internacionais. Coisas que vão atrair o paulistano no dia a dia. E o campo vai ser mais um atrativo”, explicou Barella.  

No total, a Allegra vai investir R$ 400 milhões no processo de modernização do estádio, que vem dando prejuízo à prefeitura de São Paulo. O tobogã pôde ser demolido porque não é parte do projeto original - o Pacaembu, vale lembrar, é tombado. 

Segundo o CEO, a capacidade do estádio vai cair para 26 mil pessoas. “Esperamos receber ao menos 20 jogos por ano”, revelou. “O Santos não é o único alvo. Tem o Corinthians, o São Paulo, o Palmeiras, que não joga no Allianz quando tem shows, e até times de outros estados. O ticket médio e a experiência serão vantajosos aos clubes”. 

O novo Pacaembu também terá 25 camarotes comercializados anualmente, 400 cadeiras VIPs e uma sala de imprensa modernizada. A reforma, que deve durar 28 meses, deixou Neto empolgado. “Quem tá triste pelo tobogã pega um pedaço do cimento e leva pra casa”, sugeriu o apresentador do Donos.