Esportes

Para Dracena, as pessoas enxergam Palmeiras como time a ser batido

Assessor-técnico do Verdão elogiou trabalho do clube nos bastidores

Da Redação, com Rádio Bandeirantes 17/05/2021 • 22:00 - Atualizado em 17/05/2021 • 23:45

“Hoje, com tudo o que o Palmeiras tem feito, as pessoas enxergam como o time a ser batido.” A afirmação é do assessor-técnico do Verdão, Edu Dracena, em entrevista à Rádio Bandeirantes.

Ele valorizou todo o trabalho realizado pela administração, especialmente no ponto de vista financeiro. “Vejo o Palmeiras, principalmente do ponto de vista financeiro, muito bem. Isso tem sido o nosso alicerce. Todo mundo sabe o que tem que fazer. Espero que o Palmeiras possa estar bem por muitos anos”, analisou.

Dracena também elogiou os jogadores do Verdão e citou o zagueiro Renan como um dos principais destaques.

“O Renan é um menino que escuta bastante, que gosta de treinar mais que os outros. É um garoto que faz o Palmeiras ficar bem servido de zagueiros. Ele vai colher o que está plantando.”

O assessor-técnico do Palmeiras falou sobre a volta do atacante Dudu e descartou a possibilidade de um retorno antecipado do jogador.

“Vai ser difícil o Dudu voltar antes ao Palmeiras. Existem cláusulas dos dois lados que as equipes não pretendem abrir mão. Esperamos mesmo o Dudu no mês de julho”, afirmou.

Edu Dracena disse à Rádio Bandeirantes sobre a situação do zagueiro Alan Empereur e sobre possíveis propostas de outros clubes pelos atletas do Verdão.

“Ainda não temos uma definição sobre o Alan. Temos um tempo para discutir, principalmente na parte técnica. É um jogador que nos ajudou muito, mas agora a decisão final é entre Anderson Barros e Abel Ferreira. Sobre reforços: ainda não chegou nenhuma proposta por nenhum jogador nosso”, afirmou.

Mesmo sem propostas por jogadores palmeirenses, Dracena admitiu que terá que fazer algumas negociações.

“O clube só sobrevive com a venda de jogadores. A gente não gostaria, mas acredito que vamos ter sim (que vender jogadores) para ter um suporte financeiro e honrar com nossos compromissos. Tivemos o dinheiro das premiações, porém precisamos pagar as dívidas acumuladas do ano passado. Temos que ter pés no chão, não podemos fazer loucuras”, disse.

O dirigente também falou sobre a situação de pressão em cima do treinador Abel Ferreira.

“Ele não estava acostumado com isso, com a maneira como foram os protestos. Em nenhum momento ele chegou para a gente e disse estar incomodado. Ele sabe que é normal, mas não imaginava que era tão rápido aqui no Brasil. Mas ele não falou que queria ir embora. Abel está muito feliz aqui”, assegurou o ex-zagueiro.

O assessor-técnico do Verdão, Edu Dracena, conversou com Alexandre Praetzel, Ricardo Capriotti, João Paulo Cappellanes e Vinicius Bueno no programa Esporte em Debate.

  • Palmeiras
  • Edu Dracena