Esportes

Presidente do Santos cobra profissionalização da arbitragem no Brasil

Andrés Rueda lamentou pontos perdidos no Brasileirão por erros da arbitragem

Rodrigo Lima 22/06/2022 • 13:47 - Atualizado em 22/06/2022 • 13:52

Andrés Rueda, presidente do Santos, conversou com a Rádio Bandeirantes, e falou sobre os erros de arbitragem contra o Peixe na atual temporada e cobrou a profissionalização dos árbitros no futebol brasileiros.

Questionado sobre os erros de arbitragem contra o Santos, o presidente do clube alvinegro destacou que o Peixe teria muito mais pontos na tabela e estaria brigando com os líderes do Brasileirão.

Rueda também comentou sobre a reações dos jogadores e do treinador Fabian Bustos, de reclamarem constantemente das decisões dos árbitros.

“O pessoal trabalha de segunda a segunda, é um trabalho árduo, de futebol, de treinamentos, de parte física e tática. Quando você tem o resultado de campo distorcido por um erro, é natural que isso gera uma certa revolta com o resultado”, afirmou Rueda.

“No último jogo, o pessoal ficou um pouco nervoso”, continuou o presidente Santista, que completou - “Teve uma série de inversões de faltas, cartão amarelo que o juiz não dava em jogadas bruscas”.

Apesar das reclamações, Rueda afirmou que não dá para “chorar pelo leite derramado” e que os erros estão sendo constantes não só com o Santos.

“Infelizmente, isso está sendo constante. Não só com o Santos, outras equipes também foram prejudicadas. Estamos tendo erros constantes nessa parte e eu quero acreditar que isso seja uma falta de treinamento ou conversa entre juízes e o pessoal do VAR, mas os erros estão sendo constantes”, comentou o presidente do Peixe.

Como solução para melhorar a arbitragem, Rueda falou sobre a profissionalização dos árbitros e que não faz sentido a arbitragem ser amadora em um futebol profissional.

“Não tem sentido um esporte profissional, como o futebol, aonde se movimenta tanto dinheiro, tanto esforço colocado, que o resultado não seja o que aconteceu em campo. Nem faz sentido em um futebol profissional, que a arbitragem seja amadora”, afirmou Rueda.