Esporte

Rogério Caboclo é afastado da presidência da CBF por 30 dias

Medida foi tomada após denúncias de assédio moral e sexual por uma funcionária da CBF

Da redação, com BandNews FM

Rogério Caboclo, presidente da CBF Lucas Figueiredo/CBF
Lucas Figueiredo/CBF

O presidente da CBF, Rogério Caboclo, foi afastado por 30 dias da presidência por uma decisão do Conselho de Ética. A medida foi tomada após denúncias de assédio moral e sexual por uma funcionária da CBF.

O vice-presidente mais velho, Coronel Antônio Carlos Nunes, assume durante o período de afastamento.

A defesa de Caboclo afirmou em nota que o dirigente "nunca cometeu nenhum tipo de assédio" e que provará a inocência na "investigação da comissão de ética da entidade".

Caboclo foi acusado de assédio sexual por uma funcionária que ocupa um cargo de confiança. Ela trabalha há cerca de nove anos na Confederação Brasileira de Futebol.

Em nota, a CBF afirmou que recebeu neste domingo a decisão da Comissão de Ética do Futebol Brasileiro suspendendo temporariamente (pelo prazo inicial de 30 dias) o Presidente Rogério Caboclo do exercício de suas funções. Seguindo o Estatuto da entidade, toma posse interinamente, por critério de idade, o vice-presidente Antônio Carlos Nunes de Lima. A decisão é sigilosa e o processo tramitará perante a referida Comissão, com a finalidade de apurar a denúncia apresentada."

Caboclo marcou uma reunião de urgência para a manhã desta segunda-feira com os outros vice-presidentes antes de ser afastado. A reunião deve ocorrer sem a participação dele.

O presidente da CBF foi afastado em meio ao debate sobre a realização da Copa América no Brasil. A pauta da reunião desta segunda seria justamente o afastamento do técnico da seleção brasileira Tite. 

Caboclo reuniu-se com a seleção brasileira antes do jogo das eliminatórias para a Copa do Mundo contra o Equador para discutir a realização da Copa América no Brasil. Tite e os jogadores afirmaram que só se pronunciarão sobre a Copa América após o jogo das eliminatórias desta terça contra o Paraguai.

Mais notícias

Carregar mais