Esportes

Torcedor do Athletico é demitido após arremessar copo em Luciano Hang

Caso aconteceu durante a final da Copa do Brasil

da redação 18/12/2021 • 12:39 - Atualizado em 04/01/2022 • 12:37
Luciano Hang, dono das lojas Havan
Luciano Hang, dono das lojas Havan
Agência Senado

Um torcedor do Athletico foi demitido da empresa de advocacia em que atuava após arremessar um copo de cerveja no empresário Luciano Hang durante a final da Copa do Brasil, na Arena da Baixada.

O jogo aconteceu na noite da última quarta-feira (15), quando o time paranaense recebeu o Atlético-MG no jogo de volta da decisão do campeonato. A equipe mineira venceu e levantou a taça com placar agregado de 6 a 1.  

Na ocasião, um vídeo registrou Hang sendo atingido por um copo enquanto interagia com torcedores. A Havan, rede de lojas da qual ele é dono, é patrocinadora do clube.

A Araúz Advogados justificou a demissão do advogado Eduardo Alves nesta sexta (17) alegando que "não tolera atos de violência contra qualquer indivíduo".  

“Após tomar conhecimento, pelas redes sociais, de um ato inaceitável praticado por um profissional de nosso escritório contra o empresário Sr. Luciano Hang, durante partida de futebol realizada na capital paranaense no dia 15.12.2021, na Arena da Baixada, o Araúz Advogados decidiu desligar o referido profissional de seu quadro de colaboradores e o afastar de suas funções de forma definitiva, na data de hoje”, informou a empresa.

“Ao empresário Sr. Luciano Hang e a todos que se ofenderam com o ato referido, o Araúz Advogados indica o devido apoio. Para nós, democracia não se confunde com falta de civilidade e de maneira nenhuma posicionamentos políticos podem mascarar atos criminosos”, completou.  

O advogado Eduardo Alves, por sua vez, usou as redes sociais para confirmar a demissão e voltou a criticar o dono das lojas Havan.

“Hoje perdi meu emprego, estou sendo ameaçado, minha vida virou um inferno. Mas preciso dizer: Sr. Hang, você é o que há de mais podre nesse país, e gente como você eu vou enfrentar todos os dias da minha vida, até o fim. Não é algo irreparável, criminoso, danoso ou vexatório. Danoso, criminoso, irreparável e vexatório é usar de sua influência, motivada pelo dinheiro, para promover políticas públicas que mataram, faliram, desempregaram e prejudicaram de tantas formas a da população brasileira”, publicou.