Fórmula 1

24 Horas de Le Mans encerra temporada da Tríplice Coroa, que só teve um vencedor na história

Título não oficial é composta pelas três corridas mais importantes da história do esporte a motor

Por Gabriel Alberto

24 Horas de Le Mans encerra temporada da Tríplice Coroa, que só teve um vencedor na história
Reprodução FIA WEC

A Tríplice Coroa do automobilismo terá a sua última joia sendo disputada neste final de semana no histórico Circuito de La Sarthe, na França. Serão 186 pilotos em 62 carros, em busca de vencer a maior prova de resistência para homem e máquina: as 24 Horas de Le Mans. Bandsports, Bandplay, Band.com.br e canal do Esporte na Band no YouTube transmitem.

Ao lado dela estão o Grande Prêmio de Mônaco, da Fórmula 1, e as 500 Milhas de Indianápolis, da Indy, e juntas completam o maior título extraoficial do esporte a motor. 

O fato mais curioso é que apenas uma pessoa na história conseguiu vencer as três corridas. Nada mais, nada menos que Graham Hill, o Mister Mônaco, o único piloto que detém a Tríplice Coroa do automobilismo. 

O inglês saiu vitorioso das ruas de Monte Carlo em 1963, 1964, 1965, 1968 e 1969 - o segundo maior vencedor da prova, atrás apenas de Ayrton Senna, com seis triunfos no principado. Hill conquistou as 500 Milhas de Indianápolis em 1966, liderando a prova apenas nas 10 últimas voltas, mas o suficiente para a segurar a vitória a bordo do Lola T90. 

Por fim, a coroa ficou completa apenas em 1972, ano em que venceu as 24 Horas de Le Mans. Sem contar seus dois títulos da Fórmula 1 em 1962 e 1968. 

Dos pilotos em atividade, Fernando Alonso possui duas joias da coroa. O espanhol venceu o GP de Mônaco em 2006 e 2007, ambas quando ainda corria pela Renault, e possui duas vitórias nas 24 Horas de Le Mans, em 2018 e 2019. 

Fernando Alonso. Foto:  Aston Martin

Nas 500 Milhas de Indianápolis, o bicampeão da Fórmula 1 realizou a sua primeira tentativa no oval em 2017, tanto que na época, Alonso foi substituído por Jenson Button para a corrida em Monte Carlo. Faltando 21 voltas para o fim da prova, o motor Honda do espanhol teve problemas e o fez abandonar a prova. O Príncipe das Astúrias retornou para a prova em 2019 e 2020, mas também não obteve sucesso. 

Juan Pablo Montoya também está em busca de uma das joias da coroa, mas diferente de Alonso, o colombiano precisa apenas precisa vencer as 24 Horas de Le Mans. Montoya faturou as 500 Milhas em duas ocasiões, em 2000 e 2015, e saiu vitorioso do principado em 2003, quando ainda pilotava pela Williams. 

Dos pilotos que não estão mais em atividade e que bateram na trave para conquistar a Tríplice Coroa, apenas dois conseguiram completar dois terços da missão. Bruce Mclaren venceu as 24 Horas de Le Mans em 1966, com o lendário Ford GT 40, prova que foi retratada no filme Ford VS Ferrari, estrelado por Matt Damon e Christian Bale. O neozelandês e fundador da Mclaren também conquistou os louros no GP de Mônaco de 1962. 

O outro é Jochen Rindt, o único campeão póstumo da história da Fórmula 1, mas isso é história para outro artigo. O alemão venceu o GP de Mônaco em 1970, mesmo ano em que foi campeão da categoria, e saiu vitorioso de Sarthe em 1975, a bordo da Ferrari 250LM. 

Por parte das equipes, a Mclaren também é a única a conseguir esse feito. A papaia é a equipe com mais vitórias no GP de Mônaco, com 15. Na Indy 500, a equipe britânica venceu em três ocasiões (1972, 1974 e 1976). Já em Le Mans, a única vitória do time sediado em Woking, na Inglaterra, veio apenas em 1995, com a Mclaren F1 GTR. 

Dos pilotos da Fórmula 1 atual que venceram pelo menos uma das três corridas, o GP de Mônaco, os destaques ficam para Charles Leclerc, vencedor da prova em Monte Carlo deste ano, Lewis Hamilton, Max Verstappen, Daniel Ricciardo e Sergio Pérez.

Ainda considerando os pilotos do grid da F1, o atual piloto Nico Hulkenberg, da Haas, também entra nessa lista, mas não por vencer em Mônaco, pelo menos não ainda. O alemão faturou as 24 Horas de Le Mans em 2015, a bordo do Porsche 919. 

Fora da Fórmula 1, mas com passagem pela categoria, o piloto Antonio Giovinazzi conseguiu garimpar uma dessas joias. O italiano faturou as 24 Horas de Le Mans em 2023, a bordo do modelo 499P #51, na edição centenária da prova e que também marcava a volta da Ferrari para a categoria. 

Outro piloto que colheu frutos fora da F1 foi Marcos Ericsson. O sueco venceu as 500 Milhas de Indianápolis em 2022, a 106º edição da prova e, com isso, entrou para a história do automobilismo.

Composta pelas três corridas mais importantes da história do automobilismo, a Tríplice Coroa pode ser considerada como a façanha mais fascinante e difícil do esporte a motor e que no fim apenas deixa uma dúvida: Quem será o próximo a consegui-la?  

Tópicos relacionados

Mais notícias

Carregar mais