Notícias

A UFRJ “fechará suas portas” por falta de dinheiro, diz reitora

Universidade afirma que orçamento real de 2021 é o mesmo de 2008

Gustavo Sleman 11/05/2021 • 11:41
Pesquisadores da Universidade Federal do Rio de Janeiro, a UFRJ e da Federal Fluminense, a UFF estão ajudando na pesquisa
Pesquisadores da Universidade Federal do Rio de Janeiro, a UFRJ e da Federal Fluminense, a UFF estão ajudando na pesquisa
Reprodução

A Universidade Federal do Rio pode fechar as portas por conta de dificuldades financeiras. A declaração é da reitora da instituição Denise Pires de Carvalho. Em artigo publicado no jornal O Globo, a professora argumentou que os sucessivos bloqueios e cortes nos orçamentos da UFRJ podem inviabilizar o pagamento de contas de segurança, limpeza, eletricidade e água.

Ainda segundo o texto, também assinado pelo vice-reitor Carlos Leão Rocha, o orçamento discricionário aprovado pela Lei Orçamentária para a UFRJ em 2021 é 38% daquele empenhado em 2012. Para a reitoria, com isso outros serviços da Universidade podem ser afetados, inclusive as pesquisas de duas vacinas nacionais contra a Covid-19.

Segundo texto publicado pela UFRJ, na última quinta-feira, 29/4, o governo federal informou que R$ 41,1 milhões de seu orçamento discricionário haviam sido bloqueados. Orçamento discricionário é a verba que a instituição tem para bancar seu custeio (água, luz, limpeza, segurança etc) e investimento (infraestrutura física).

A universidade diz que vem sofrendo sucessivos cortes desde 2012 e que o orçamento real atual já é equivalente ao de 2008, mesmo com inflação e aumento da estrutura.

Em nota, o Ministério da Economia reconhece que houve redução dos recursos discricionários da pasta para 2021, em relação à Lei Orçamentária Anual das universidades federais. No comunicado, o MEC afirmou também vem promovendo ações junto ao Ministério da Economia para que as dotações sejam desbloqueadas e o orçamento seja disponibilizado em sua totalidade.

O presidenciável Ciro Gomes saiu em defesa da universidade em seu Twitter. “Na semana passada, endossei o alerta para o colapso financeiro de grandes universidades, cujo símbolo mais dramático é a UFRJ”, escreveu ele.

A UFRJ tem sob seu escopo 9 hospitais universitários e unidades de saúde, 13 museus, mais de 1.450 laboratórios, 45 bibliotecas e um Parque Tecnológico de 350 mil metros quadrados.

A estrutura da universidade já criou um tecido antiviral para a confecção de máscaras em parceria com a PUC-Rio e o Inmetro e tem estudos para o combate à Covid-19.

  • UFRJ