Notícias

Fiocruz volta a distribuir doses de vacina da AstraZeneca nesta terça (14)

Não há entregas há quase um mês devido ao atraso no envio de matéria-prima

Érick Mota, do Band Notícias 13/09/2021 • 23:11 - Atualizado em 13/09/2021 • 23:20

A Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz) vai voltar a distribuir novos lotes de vacinas da AstraZeneca contra Covid-19 nesta terça-feira (14), depois de quase um mês sem entregas. Pelo menos cinco estados afirmam não ter estoque para a segunda dose. 

O órgão não entrega novos lotes do imunizante desde 20 de agosto. A produção foi prejudicada pelo atraso no envio da matéria-prima vinda da China. 

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, disse nesta segunda-feira (13) que a falta da AstraZeneca para segunda dose acontece porque os governos locais não seguem o PNI (Programa Nacional de Imunização).

Um exemplo disso é a distribuição da terceira dose. A pasta recomenda que seja aplicada apenas a partir de 15 de setembro, mas cidades de 16 estados já começaram a distribuir o reforço. 

Hoje, o Rio de Janeiro iniciou a campanha para idosos acima de 95 anos. São Paulo já vacina os que têm ao menos 85 anos. 

Por causa da falta da AstraZeneca, o Ministério da Saúde adiou a redução do intervalo das doses de 12 para 8 semanas, que havia sido anunciado no fim de agosto. A partir da próxima quarta-feira (15), os estados poderão diminuir o tempo de aplicação apenas da vacina da Pfizer. 

No último domingo (12), a farmacêutica norte-americana enviou mais de 5 milhões de doses ao Brasil, que ainda precisam ser distribuídas pelo Ministério da Saúde. 

Segundo o governo federal, está prevista para este mês a entrega de 12 milhões de doses da AstraZeneca, 7 milhões da Coronavac 45,5 milhões da Pfizer. 

2ª dose da Pfizer

Com a falta da vacinas da AstraZeneca, o estado de São Paulo começou a aplicar a vacina da vacina da Pfizer em quem está com a 2ª dose da Astrazeneca atrasada. O motivo é a falta do imunizante da fabricante no estado.

Serão vacinados os que estiverem com a segunda dose vencida entre 1º e 15 de setembro.

Na capital paulista, cerca de 340 mil pessoas estão nessa situação em toda a cidade e há apenas 165 mil vacinas disponíveis.

Outro lugar a adotar a medida foi a cidade do Rio de Janeiro. 

  • Vacina