Notícias

Bolsonaro volta a criticar urnas eletrônicas em evento no interior de SP

Acompanhado dos ministros da Saúde Marcelo Queiroga e da Infraestrutura Tarcísio de Freitas, chefe do executivo ainda participou de motociada em Presidente Prudente; sobre as eleições, Bolsonaro disse que não abre mão de eleições democráticas limpas e confiáveis o ano que vem

Da redação, com BandNews TV 31/07/2021 • 14:36 - Atualizado em 31/07/2021 • 16:26
Bolsonaro volta a criticar urnas eletrônicas em evento no interior de SP
Bolsonaro volta a criticar urnas eletrônicas em evento no interior de SP
Reprodução/BandNews TV

Neste sábado, 31, Bolsonaro foi a Presidente Prudente, no interior do estado de SP, formalizar o credenciamento do Hospital de Esperança, antigo HRCPP (Hospital Regional do Câncer de Presidente Prudente) ao SUS. Além de realizar uma motociada (a 6ª promovida por ele) pela cidade, Bolsonaro discursou no evento, e voltou a criticar a CPI e o sistema eleitoral brasileiro. Assista na íntegra abaixo:


Ao criticar a CPI, Bolsonaro relembrou a realização da Copa América, quando “Queiroga se acostumou com seu jeito de trabalhar”. “Naquela CPI do além, do circo, o presidente com 17 inquéritos no Supremo falou que eu ia realizar a copa da morte. Trinta dias depois, infelizmente, não fomos campeões, mas terminamos com número de óbitos praticamente pela metade”, disse. “Lembro quando me ligou o presidente da CBF sobre a Copa América e Queiroga disse que precisaria de um protocolo. Perguntei: ‘Quanto tempo vai demorar, Queiroga?’ e ele disse ‘poucos dias’. Eu falei: ‘Queiroga, é agora, é o protocolo da Libertadores’. E resolvemos em 10 minutos a questão da Copa América”.

Sobre as eleições, Bolsonaro disse que não abre mão de eleições democráticas limpas e confiáveis o ano que vem e criticou a urna eletrônica. “Tudo se aperfeiçoa, tudo tem que ser modernizado, apenas esse sistema continua praticamente idêntico daquele existente em seu nascedouro nos anos 90. Não consigo entender por que alguns, usando poder da força, querem impor que nós tenhamos uma contagem publica de votos e uma votação auditável.”

  • bolsonaro