Notícias

Réus da Boate Kiss são soltos após anulação do julgamento

Justiça anulou o julgamento ao acatar as apelações dos advogados de defesa

Da redação 04/08/2022 • 08:35 - Atualizado em 04/08/2022 • 09:18

Os quatro réus do caso da Boate Kiss já foram soltos após a decisão da 1ª Câmara Criminal que anulou o julgamento ao acatar as apelações dos advogados de defesa. 

Por volta das 23h desta quarta-feira (03), menos de cinco horas após a decisão, os últimos dois réus foram soltos. Elissandro Sphor e Mauro Hoffmann, que eram sócios da boate e estavam cumprindo pena em Canoas desde dezembro, saíram da cadeia e vão responder ao processo em liberdade. 

Os outros dois réus, o roadie do grupo musical Gurizada Fandangueira, Luciano Bonilha Leão, e o vocalista da banda, Marcelo de Jesus dos Santos, foram soltos horas antes, em São Vicente do Sul. 

Anulação do julgamento

Nesta quarta-feira (03), a 1ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul anulou o júri que condenou os quatro réus do caso do incêndio da Boate Kiss, que matou 242 pessoas em 27 de janeiro de 2013, na cidade de Santa Maria. Um novo julgamento deve ser marcado.

Por 2 votos a 1, os desembargadores acataram os recursos apresentados pelos advogados de defesa dos quatro réus, que alegaram nulidades durante o júri popular, ou seja, irregularidades, como a conduta do juiz e a possível interferência da plateia durante as sessões do julgamento. O Ministério Público afirmou que vai recorrer da decisão.

No julgamento, Mauro Hoffman, Elissandro Spohr, Marcelo de Jesus dos Santos e Luciano Bonilha foram sentenciados entre 18 e 22 anos de prisão.