Notícias

Tragédia em Pernambuco: 127 mortos e 9 mil desabrigados

Mais de 9 mil pessoas estão desabrigadas, segundo a Defesa Civil do estado

Renan Sukevicius 02/06/2022 • 08:53 - Atualizado em 02/06/2022 • 17:55

Subiu para 127 o número de mortos em decorrência das fortes chuvas que atingiram Pernambuco nos últimos dias. O Corpo de Bombeiros localizou mais duas vítimas. 

Os corpos foram encontrados na Vila dos Milagres, no Recife, e no Curado IV, em Jaboatão dos Guararapes. Outras quatro vítimas foram incorporadas às estatísticas após investigação social no Instituto de Medicina Legal. 

Duas pessoas ainda estão desaparecidas. Uma delas em um deslizamento em Camaragibe, e a outra é um homem que foi arrastado pela enxurrada em Paratibe, em Paulista.

Os bombeiros permanecem trabalhando na comunidade do Areeiro, em Camaragibe, com o auxílio de cães farejadores, para localizar a última pessoa que permanece desaparecida no local. Em Paratibe, militares da Marinha estão auxiliando nas buscas.

O número de desabrigados subiu para 9.302 pessoas que estão alojadas em 111 instituições de 27 municípios. No total, 31 cidades decretaram estado de emergência e 51 tiveram algum tipo de prejuízo em consequência das chuvas.

A chuva causou mortes e danos principalmente na Região Metropolitana de Recife, mas também atingiu o leste de Alagoas e cidades de Sergipe e Paraíba. 

O plano de contingência da prefeitura de Recife foi acionado na sexta-feira (27), quando a Apac (Agência Pernambucana de Águas e Clima) emitiu um comunicado informando a previsão de chuva intensa para o final de semana.

O Estado publicou um decreto de situação de emergência publicado que permite que os municípios solicitem recursos do Sistema Nacional de Defesa Civil. Os municípios em emergência em Pernambuco são: Recife, Olinda, Jaboatão dos Guararapes, São José da Coroa Grande, Moreno, Nazaré da Mata, Macaparana, Cabo de Santo Agostinho, São Vicente Férrer, Paudalho, Paulista, Goiana, Timbaúba e Camaragibe.

Na segunda-feira (30), o presidente Jair Bolsonaro (PL) esteve em Recife junto com comitiva de ministros e anunciou R$ 500 milhões de ajuda à região. Bolsonaro aproveitou o evento para criticar adversários políticos.

Mortes por chuva em 2022 superam o total de 2021

Em 5 meses, as mortes causadas pelas chuvas já superam o total de óbitos de todo o ano passado. Até esta quarta-feira (1º), 457 pessoas perderam suas vidas em desastres por excesso de chuva no Brasil em 2022.  

O dado aponta um aumento de 57% em relação a 2021, quando o número de mortos pela chuva no ano todo foi de 290 pessoas. Na última década, os óbitos causados por chuvas já somam 1.756.

O levantamento foi feito pela Confederação Nacional de Municípios (CNM) com base nos dados do Sistema Integrado de Informações Sobre Desastres do Ministério do Desenvolvimento Regional (S2ID/MDR), e inclui 91 das 106 mortes no desastre em Recife nesta semana.

Segundo o levantamento, a crescente no número de mortes ocorre desde 2019 em relação aos anos anteriores. Foram 297 mortos em 2019 e 216 em 2020. Como comparação, entre 2014 e 2018 morreram menos de 100 pessoas por ano devido à chuva.  

Maiores desastres

O maior número de óbitos de 2022 causado pelas chuvas aconteceu em fevereiro em Petrópolis, no Rio de Janeiro, quando 233 pessoas morreram devido a deslizamentos e alagamentos causados pela chuva.

O Rio de Janeiro teve outro desastre em abril, quando 20 pessoas morreram (11 mortos em Angra dos Reis, 7 em Paraty e 1 em Mesquita) em deslizamentos causados pelas tempestades. 

Já no nordeste, somente em Recife, no Pernambuco, pelo menos 106 pessoas morreram na última semana. Outras 26 pessoas morreram na Bahia no início do ano.

A região nordeste ainda apresenta 1,2 milhão de pessoas afetadas pelas chuvas e pelo menos R$ 3 milhões em prejuízo nos últimos 6 meses, com danos à pecuária, à agricultura, à indústria, ao comércio, aos sistemas de geração energia, de abastecimento de água, de esgoto, de limpeza, de segurança pública, de controle de pragas, de transportes e de telecomunicações.