Bora SP

Covid-19: Doria cobra Ministério da Saúde para antecipar 2ª dose de vacinas em SP

Governador paulista credita prazo de 90 dias entre as duas doses à oferta de vacinas de Pfizer e AstraZeneca

Da Redação, com Bora SP 26/07/2021 • 07:57 - Atualizado em 26/07/2021 • 11:03

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), admite reduzir para oito semanas o prazo para a aplicação da segunda dose das vacinas da Pfizer e da AstraZeneca contra o novo coronavírus no estado – atualmente, o prazo é de 12 semanas, cerca de 90 dias. Para isso, porém, cobrou o Ministério da Saúde por mais imunizantes.

“Precisamos é de vacinas. Havendo vacinas de Pfizer e AstraZeneca, poderá haver redução nesse prazo de 90 dias. É um prazo grande pela falta de vacinas. Não há razão na medicina, na ciência, na saúde, para que sejam 90 dias”, disse, em entrevista nesta segunda-feira (26) ao Bora SP.

Segundo Doria, a falta de vacinas em determinados municípios de São Paulo “é problema do Ministério da Saúde”. “O Ministério da Saúde deve fornecer vacinas da Pfizer, da AstraZeneca e da Janssen também. Temos hoje quatro vacinas no Brasil. A CoronaVac nós garantimos no Brasil”, acrescentou.

Apesar dos relatos de faltas de doses, Doria mantém a projeção de que toda a população a partir de 18 anos em São Paulo terá recebido pelo menos uma dose até o dia 20 de agosto. E que aplicar a segunda dose a todos os adultos do estado ainda em 2021.

“Para este ano, a boa notícia é que, até dia 20 de agosto, nós já teremos vacinado todos os adultos com mais de 18 anos. Será o primeiro estado do país a ter essa vacinação com a primeira dose”, assegurou. “A previsão é de que, com a primeira e a segunda doses, até outubro todos estarão vacinados aqui em São Paulo.”

Apesar do otimismo com a vacinação, Doria acredita que a pandemia precisará de mais vacinas em 2022 para que seja de fato controlada.

“Os infectologistas e epidemiologistas indicam que, da mesma maneira que tomamos vacina contra gripe, teremos que tomar vacina contra a Covid-19 anualmente. O que não se sabe ainda, de maneira correta, é qual é o período entre as doses deste ano e do ano que vem”, afirmou.

O governador paulista ainda admitiu que medidas mais brandas de restrição podem ser anunciadas nos próximos dias diante de indicadores positivos da pandemia no estado.

“Muito provavelmente poderemos anunciar uma nova flexibilização. Amanhã (27) tem reunião do Centro de Contigência Covid-19, que será realizada pela manhã, e na quarta-feira (28) nós poderemos anunciar. Mas todos os indicadores, como estamos em queda em infecção, em internação e felizmente em óbito, tudo indica que teremos uma nova fase de flexibilização, em benefício do comércio, do setor de serviços”, disse.

Mesmo diante do otimismo, Doria pede para que as medidas de segurança sejam mantidas entre a população. “O uso de máscara ainda vai ser prolongado um pouco mais para garantir a proteção às pessoas”, completou.

  • João Doria
  • SP
  • vacinação
  • Covid-19