Bora SP

Cracolândia: usuários saem da praça Princesa Isabel e ocupam a Marechal Deodoro

Dependentes químicos já começaram a montar barracas para recriar um novo espaço para consumo de drogas

Mark Figueredo 12/05/2022 • 06:42 - Atualizado em 12/05/2022 • 15:20

Após serem retirados da praça Princesa Isabel, região central de São Paulo onde funcionava a “nova cracolândia”, diversos dependentes químicos migraram para a praça Marechal Deodoro, também no Centro da capital, onde começaram a montar barracas na noite desta quarta-feira (11). 

Durante todo o dia de ontem, a Polícia Civil, a Polícia Militar, a Guarda Civil Metropolitana e a Prefeitura deflagraram uma megaoperação contra o tráfico de drogas na praça Princesa Isabel. O objetivo da ação, integrante da Operação Caronte, era cumprir 36 mandados de prisão e 10 mandados de busca e apreensão expedidos pela Justiça. 

No total, 20 pessoas foram presas (17 homens e três mulheres) e encaminhadas ao 77º Distrito Policial, na Santa Cecília. Entre os detidos está Lucas Macedo, traficante conhecido como “Filé com Fritas”. 

Vídeo: operação na cracolândia prende 20 pessoas

Depois da operação, alguns usuários de drogas que estavam no local tentaram voltar para a praça Júlio Prestes, onde funcionava a “antiga cracolândia”, mas foram impedidos pelos agentes. Parte deles decidiu ocupar a Marechal Deodoro e outra parte se espalhou por ruas e avenidas de bairros centrais como Campos Elísios, Santa Cecília, Sé e República. 

Internação compulsória

Em entrevista à Rádio Bandeirantes, o prefeito da capital, Ricardo Nunes, defendeu ampliar o debate sobre a internação compulsória nos casos em que o dependente químico não consegue “discernir o que é bom para ele”. 

O gestor da maior cidade do país também destacou que a prefeitura, em parceria com o governo do estado, abriu 1,5 mil vagas em unidades terapêuticas para atender usuários de drogas.

Vídeo: prefeito fala sobre megaoperação