Notícias

Brasil proíbe entrada de viajantes de 6 países da África a partir desta segunda

Medida vale por tempo indeterminado e é uma tentativa de conter a chegada da variante ômicron do coronavírus

Da Redação 28/11/2021 • 10:26 - Atualizado em 29/11/2021 • 07:47

O Brasil proibiu a entrada de viajantes vindos de países da África por causa da nova variante do coronavírus, a ômicron. A medida entrou em vigor nesta segunda-feira (29) e vai afetar os passageiros que chegam da África do Sul, Botsuana, Eswatini (antiga Suazilândia), Lesoto, Namíbia e Zimbábue. Veja a lista de países que já detectaram a nova cepa.

Além dos países listados, a Anvisa recomendou que a suspensão se estenda para mais quatro países africanos: Angola, Malawi, Moçambique e Zâmbia.

A medida é para tentar conter a chegada da variante ômicron, identificada no dia 11 de novembro em Botsuana, que faz fronteira com a África do Sul. Os pesquisadores encontraram 32 mutações na chamada proteína "spike" --que o coronavírus usa para entrar na células. É mais que o dobro do encontrado na variante delta-- altamente contagiosa. No total, ela possui mais de 50 mutações.

Além da restrição dos voos, estão suspensas, em caráter temporário, a autorização de desembarque no Brasil de viajante estrangeiro com passagem pelos seis países nos últimos 14 dias.

"Considerando não haver, no momento, malha aérea com voos procedentes diretamente da África do Sul, Botsuana, Eswatini, Lesoto, Namíbia e Zimbábue para o Brasil e visando o controle da disseminação de nova variante do SARS-CoV-2 identificada, a Anvisa recomenda a restrição de entrada de viajantes com essas procedências por qualquer meio de transporte (aéreo, rodoviário ou aquaviário)", destacou a agência em seu pedido.

Em uma publicação na internet, o ministro-chefe da Casa Civil, Ciro Nogueira, disse que a iniciativa visa resguardar os brasileiros nessa nova fase da pandemia. 

A decisão foi tomada após uma recomendação da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), preocupada com novas ondas da doença. O diretor da Anvisa, Alex Campos, reforçou que essa é a única forma de evitar que a variante entre no Brasil. 

No sábado, na ala de desembarque do aeroporto internacional de São Paulo, passageiros que chegavam de voos vindos da África estavam aliviados. “Quando a gente viu a notícia, a gente se preocupou. Quando a gente viu a data que a Anvisa liberou, a gente estava na fila do aeroporto", disse um dos brasileiros no aeroporto.

Recomendação da Anvisa já inclui dez países

Na noite de sábado, a Anvisa pediu também a restrição de voos de outros quatro países: Angola, Malaui, Moçambique e Zâmbia. O fechamento da fronteira aérea ainda não inclui as novas recomendações da agência.

A recomendação ocorre em função da nova variante do coronavírus identificada na África do Sul. Nomeada pela OMS como Ômicron, a cepa é altamente mutável e ainda não se sabe se as vacinas existentes são eficazes contra ela. 

O Ministério da Saúde diz que não há casos da ômicron no Brasil, mas encaminhou um alerta para que todas as unidades de atendimento do SUS se mantenham atentas.