Notícias

Brasil volta a bater recorde e registra 4.195 mortes por covid-19 em 24 horas

Foram registrados 86.979 infectados no período em todo o país

Da Redação, com Brasil Urgente 06/04/2021 • 18:18 - Atualizado em 06/04/2021 • 22:58

O Brasil registrou 4.195 mortes decorrentes da Covid-19 nas últimas 24 horas. O número é recorde desde o início da pandemia do novo coronavírus.

Além disso, entre segunda-feira (05) e terça-feira (06), foram registrados 86.979 infectados em todo o país.

Com os óbitos registrados até esta terça, o Brasil contabiliza 336.947 vítimas da doença - a média de 2.773 óbitos nos últimos sete dias. 

Apenas o Brasil e os Estados Unidos registraram mais de 4 mil mortes diárias na pandemia.

No total, o Brasil já contabilizou 13.100.580 casos confirmados de Covid-19 desde o início da pandemia. Ao todo, 11.558.784 pacientes foram recuperados (ou 88,2% do total), enquanto 1.204.849 estão em acompanhamento (9,2% do total).

Os estados com mais casos confirmados até aqui são São Paulo (2.554.841), Minas Gerais (1.169.489) e Rio Grande do Sul (868.590). Entre os óbitos, os maiores números foram registrados em São Paulo (78.554), Rio de Janeiro (38.040) e Minas Gerais (25.795).

Fiocruz alerta para situação crítica

A Fundação Oswaldo Cruz alerta que a situação da Covid-19 pode permanecer em níveis críticos ao longo do mês de abril, prolongando a crise sanitária e o colapso do sistema de saúde no Brasil.

Segundo o levantamento, houve um novo aumento da taxa de letalidade, de 3,3 para 4,2% - esse índice era de 2% no fim de 2020.

Dezenove Estados e o DF estão com mais de 90% dos leitos de UTI ocupados. Os piores índices são em Santa Catarina, Distrito Federal, Mato Grosso, Piauí, Rio Grande do Norte e Pernambuco. No Mato Grosso do Sul, o índice é de 106%, ou seja, não há vagas, e pacientes graves são tratados em setores que não são adequados.

A análise do Boletim Extraordinário do Observatório Covid-19 mostra que o vírus Sars-CoV-2 e suas variantes permanecem em circulação intensa em todo o país.

Com isso, a Fiocruz volta a defender a tomada de medidas mais rígidas de combate à covid-19 em todo o país, pelo período mínimo de 14 dias.

Vacinação

Pela segunda vez desde o início da pandemia, o Brasil aplicou mais de 1 milhão de doses de vacinas em um dia.

No total, 20.850.120 pessoas (9,9% da população), já receberam a primeira dose, enquanto 5.885.883 (2,8%) tiveram as duas doses já aplicadas.

Em abril, o Brasil deve ter mais 28,5 milhões de doses disponíveis (18,4 da Coronavac, 8,7 da Oxford/AstraZeneca e 1 milhão da Pfizer);

  • Covid-19