Brasil Urgente

Araçatuba: quem são as três vítimas de assalto a bancos

Entre os mortos, estão dois moradores da cidade e um integrante da quadrilha

Da Redação, com Brasil Urgente 30/08/2021 • 18:36 - Atualizado em 30/08/2021 • 20:10

O assalto a três agências bancárias na madrugada desta segunda-feira (30) na cidade de Araçatuba, no interior de São Paulo. Três pessoas foram mortas na ação dos criminosos, sendo dois moradores da cidade de um integrante da quadrilha. 

Renato Bortolucci era empresário, dono de um posto de gasolina e pai de duas filhas. Ele foi ao centro da cidade gravar o assalto, mas foi visto pelos bandidos e atingido por um tiro de fuzil e morreu no local. 

A segunda vítima é Marcio Victor Possa da Silva. O professor de educação física voltava para casa quando foi atingido e não resistiu aos ferimentos. 

Um integrante da quadrilha também morreu. Jorge Carlos de Mello, de 38 anos, foi atingido durante troca de tiros com a polícia. Ele era integrante do PCC (Primeiro Comando da Capital), tinha uma extensa ficha criminal e foi preso sete vezes. O outro morto era integrante da quadrilha. Jorge Carlos de Mello, de 38 anos, morreu na troca de tiros com policiais.

Como foi a ação

A partir das 23h50 de domingo (29), dezenas de criminosos ocuparam regiões do município com explosivos e armas de grosso calibre, como fuzis e metralhadoras. Nas horas seguintes, eles roubaram três agências bancárias.

Segundo testemunhas, eram pelo menos 30 criminosos. Durante mais de duas horas houve troca de tiros com os policiais. A sede de um Batalhão da Polícia Militar também foi atacada.

Ao longo da madrugada, moradores de Araçatuba viraram reféns nas mãos do bando. Para evitar disparos policiais, a quadrilha chegou a usar os reféns como escudos humanos. Alguns deles foram colocados sobre os carros usados nos crimes.

A investigação aponta que dez carros e um drone foram usados pela quadrilha na ação. O grupo conseguiu fugir com uma quantia em dinheiro, mas ainda não se sabe quanto.

Na fuga, carros e caminhões em chamas foram espalhados por rodovias e entradas da cidade, de forma a atrapalhar o acesso da polícia. Além disso, um caminhão cheio de explosivos foi abandonado.

Na manhã desta segunda-feira, a polícia começou a rastrear explosivos espalhados pela cidade, e que seriam ativados por sensores de movimentação. Um jovem foi atingido ao se aproximar de uma das bombas e teve membros amputados.

Inicialmente, três pessoas morreram em decorrência dos ataques, e dois homens foram presos. Os moradores de Araçatuba começaram a retomar suas rotinas pela manhã, contrariando a orientação de autoridades.

Em entrevista à Rádio Bandeirantes, o prefeito de Araçatuba, Dilador Borges (PPS), disse acreditar que os fugitivos foram encurralados em regiões de plantação de cana nos limites do município.

Mais cedo, o prefeito Dilador Borges deu entrevista à Band. Assista: