Brasil Urgente

Caso Lorrany: polícia colhe depoimentos para investigar desaparecimento de jovem

Estudante está desaparecida desde quinta-feira e não deixou pistas do paradeiro

Da Redação, com Brasil Urgente 24/01/2022 • 17:21 - Atualizado em 24/01/2022 • 18:46

A estudante de enfermagem Lorrany Fernandes, de 19 anos, continua desaparecida. Ela foi vista pela última vez na noite de quinta-feira (20), em Ribeirão Pires (SP). O setor de Homicídios da Delegacia de Santo André está investigando o caso e tem colhido depoimentos para entender o que pode ter acontecido.

Lorrany saiu de casa sem deixar muitas pistas. Ela não tinha dito que ia sair. Câmeras de segurança registraram que ela subiu como passageira em uma moto vermelha, na noite de quinta. Um vizinho dela, que possui uma moto semelhante e conhecia Lorrany, prestou depoimento na tarde desta segunda-feira (24). Ele admitiu que deu carona pra ela na quinta-feira. Os dois já tiveram um relacionamento amoroso. E atualmente a namorada dele tinha um atrito com Lorrany.

Por enquanto esse homem é tratado como averiguado, não como suspeito. Mas o depoimento dele tem contradições e gera suspeitas. Ele disse que o celular dele teve problema e estava no concerto. A polícia foi investigar e descobriu que o aparelho foi formatado recentemente. Outro detalhe importante é que ele está com arranhões no braço, que podem indicar uma luta recente.

A família também prestou depoimento e contou que não esperava que Lorrany ia sair de casa. “Ela não levou nada, só o celular. Saiu de chinelo, com roupa normal, não levou documento e nem nada. Ela estava teclando no celular com alguém, mas não sei com quem. Tenho medo da minha filha ter sofrido emboscada de alguém, de um psicopata, porque ela é muito bonita. Bloqueei minha mente pra não pensar em nada pior, porque não sei como vou lidar com essa situação”, disse Nivea, mãe de Lorrany, em entrevista exclusiva ao Brasil Urgente.

A polícia recebeu denúncias de que Lorrany foi vista saindo de um motel da cidade, na companhia de um homem, em um carro preto. Na delegacia, um casal prestou depoimento e foi liberado. Uma jovem, bem parecida com a Lorrany, disse ao delegado que foi confundida com a estudante.

O celular de Lorrany está sendo investigado. A polícia já pediu a quebra de sigilo telefônico. Pouco antes de sumir, ela tinha publicado nas redes sociais uma mensagem enigmática: “Quando o diabo não vem manda o secretário”. O notebook dela também será periciado em busca de pistas. 

O rastreio do sinal de GPS do celular de Lorrany apontou a localização do aparelho em uma área de mata fechada em Ribeirão Pires. A polícia fez buscas no local, mas por enquanto não encontrou nada.

A investigação do caso não descarta nenhuma hipótese, inclusive a possibilidade de que Lorrany tenha fugido de casa após ter um surto psicótico. Segundo a família da jovem, ela tomava remédios controlados para o tratamento de depressão.

Nova pista

No final da tarde desta segunda-feira, policiais foram até a casa de Lorrany e falaram com duas parentes dela. Logo depois elas saíram para mostrar aos agentes uma testemunha que pode elucidar o caso. Na sequência, em entrevista exclusiva ao Brasil Urgente, o investigador Barbosa disse que as apurações do caso estão indo bem, mas não pode informar mais detalhes por enquanto. 

Vídeo: veja mais informações sobre a investigação do caso