Brasil Urgente

Criminosos roubam mais de 40 vans zero km de estacionamento na zona sul de SP

Quadrilha rendeu segurança e clientes para ação ousada. Polícia já localizou 23 veículos escondidos em dois estacionamentos

César Cavalcante, Marcelo Moreira e Maria Paula Limah, do Brasil Urgente 18/10/2021 • 17:13 - Atualizado em 18/10/2021 • 19:57

Ladrões invadiram um estacionamento na zona sul de São Paulo e roubaram 42 veículos, entre vans e caminhonetes zero km que estavam no local, na madrugada desta segunda-feira (18). O local é terceirizado de uma concessionária Renault

A Polícia Militar já encontrou 24 dos veículos roubados escondidos em um estacionamento e em uma loja, em pontos distintos da capital.

Um deles tinha 15 veículos e está localizado no centro da capital, ao lado do Viaduto 9 de Julho – a 400m da Câmara Municipal de São Paulo. Os carros foram descobertos graças a uma denúncia anônima, após divulgação do caso no programa “Manhã Bandeirantes”, com José Luiz Datena, na Rádio Bandeirantes, e deixariam o local ainda na noite desta segunda.

Um homem chegou a este estacionamento na noite do último domingo, portanto antes do roubo, dizendo que precisava do espaço para estacionar 15 vans e que era dono de uma locadora de veículos. O acerto aconteceu por R$ 20 a diária por veículo - as informações pessoais passadas pelo criminoso eram falsas.

Horas depois, mais nove veículos foram localizados pela PM em um local na Avenida Cândido Portinari, na região oeste, próximo à Rodovia Anhanguera. O local vendia veículos utilitários e prometia preços 30% abaixo do mercado.

Armados, três dos criminosos bandidos entraram no estacionamento no bairro de Santo Amaro fingindo que iriam estacionar. Segundo o dono, três assaltantes entraram no local com uma Fiorino branca, renderam o segurança e o prenderam no veículo no fundo do estacionamento.

O estacionamento alvo do roubo funciona 24 horas. Logo após o início da ação dos criminosos, dois clientes apareceram para buscar seus carros. Eles também foram rendidos e permaneceram presos dentro do carro por mais de uma hora e meia.

Bolívar Junior, representante da concessionária Toriba, acredita em crime premeditado, já que os criminosos foram direto no local onde estavam as chaves e estariam em “mais de 30 pessoas”. Ele relatou que a revendedora utiliza o local para guardar os veículos novos desde janeiro deste ano.

“Os carros com pouquíssimo combustível, que eles vêm de fábrica, normalmente a gente tem que abastecer o carro para entregar. Então, nossas chaves ficam trancadas. Até você achar a chave equivalente ao chassi, tanto é que eles espalharam todas as chaves no chão, saíram procurando os carros, a gente imagina que eram vários bandidos”, disse.

Cada veículo roubado custa a partir de R$ 200 mil. Eles já estavam vendidos e não tinham placas - alguns deles seriam convertidos em ambulâncias. A concessionária tem seguro, mas o prejuízo estimado ultrapassa os R$ 7 milhões.

No local do roubo, não há câmeras de segurança. Por isso, a polícia procura imagens nas redondezas para tentar identificar a quadrilha. Os indícios mostram que a ação pode ter sido planejada com alguma antecedência e ter envolvido até 50 criminosos.

“Esses veículos aí provavelmente eles tinham uma destinação ou para algum transporte público ou seriam remarcações de chassi. O importante é saber que essa quadrilha estava bem estruturada e, muito provavelmente, teria informações privilegiadas de alguma dessas pontas aí, ou do estacionamento, ou da empresa que trabalhava, até a própria transportadora que levou essas vans para esse pátio”, explicou o capitão Luiz, porta-voz da PM, para o Brasil Urgente.

A polícia também faz mais buscas na região onde foram achadas as 15 vans, além da perícia que está sendo feita pela Policia Civil no local da ação criminosa.

“Caso inédito, é um caso diferente, concordo que foi planejado com antecedência. Ninguém rouba 42 veículos dessa natureza de uma hora pra outra. E tem a destinação, também ninguém vai roubar sem ter onde entregar esses veículos”, pontuou o delegado Roberto Monteiro, titular da 1ª Seccional Centro, que investiga o caso.