Brasil Urgente

Em carta, Gatinha da Cracolândia pediu permanência de advogada no caso

Advogada era responsável pela defesa de Lorraine e do namorado da jovem

Da redação, com Brasil Urgente 27/07/2021 • 19:02 - Atualizado em 27/07/2021 • 19:48

A traficante Lorraine Cutier Bauer Romeiro, presa na última quinta-feira (22) em São Paulo, pediu à família para que a advogada que cuida do caso dela não fosse trocada – sem sucesso. As informações são do Brasil Urgente.

Foi de dentro da carceragem feminina do 89 DP, no Morumbi, zona sul da capital paulista, que ela fez um apelo à mãe através de uma carta estrita do próprio punho.

“Te amo muito”, escreveu a garota de 19 anos, desenhando um coração. Em seguida completou: “Não esquece de mim”.

Lorraine está presa desde a semana passada suspeita de ser uma das principais traficantes de drogas na Cracolândia, no centro de São Paulo. Segundo a investigação, lucrava mais de R$ 6 mil por dia com a venda de crack e cocaína. Por causa da beleza, ganhou o apelido de “Gatinha da Cracolândia”.

Na carta que escreveu para a mãe, ainda pediu que a advogada que acompanhava o caso desde o início, Ana Paula Muniz, não fosse trocada.

“Eu sei que nesse momento eu não posso decidir nem pedir nada para você. Mas eu preciso (...) de uma advogada como ela, que tem coração, que tem sentimento”, escreveu. “Eu não posso te ver, nem a (nome da filha). Então pelo menos, preciso de alguém como ela.”

Apesar do pedido, a família de Lorraine ainda assim decidiu afastar a advogada do caso.

“Acabei de informar minha cliente, a Lorraine. Eu estou renunciando (ao caso) por motivos de foro íntimo. Ela compreendeu, ela ainda está bastante abalada com toda a situação, então provavelmente o advogado que assumir vai se pronunciar a respeito do processo nos próximos dias”, disse Ana Paula nesta segunda-feira.

A advogada era a mesma do namorado de Lorraine, André Luiz Santos de Almeida, o Tatuchina, que também está preso. A reportagem contatou a mãe dele, que afirmou que precisaria da autorização da advogada para se pronunciar.

A Gatinha da Cracolândia negou que apareça em imagens gravadas pela Polícia Civil na Cracolândia. De casaco preto, capuz e máscara, a suspeita apareceria em uma barraca, cercada por usuários de drogas.

Lorraine continua na carceragem do 89 DP, à disposição dos investigadores, que Seguem à procura de criminosos envolvidos com o tráfico. Mesmo com a prisão preventiva, ela não deve ser transferida.

‘Justiça será feita’, diz novo advogado

Inocentar Lorraine da acusação de tráfico é a missão do criminalista José Almir, o novo advogado contratado pela família da jovem traficante.

“A justiça será feita. Nós esperamos provar que ela nada tem a ver com essa situação”, disse ele.

Depois de ser presa, Lorraine indicou um hotel onde as drogas eram guardadas. Ao longo do depoimento, a jovem se recusou a falar com os investigadores. A estratégia vai continuar durante o inquérito.

“Ela foi orientada por mim para que só fale após eu ter conhecimento das peças processuais”, informou o advogado.

  • gatinha da cracolândia
  • tráfico
  • segurança
  • carontes
  • operação