Brasil Urgente

Homem mata esposa e sogra a facadas em Sorocaba

Delegada ficou em choque com o duplo feminicídio e diz que viu "cenário de horror"

Da Redação, com Brasil Urgente 01/12/2021 • 16:59 - Atualizado em 01/12/2021 • 17:19
Casal estava prestes a se separar
Casal estava prestes a se separar
Foto: Reprodução

Um homem matou a esposa e a sogra a facadas em Sorocaba, no interior de São Paulo, nesta quarta-feira (1). Ele foi preso depois de duas horas de negociação e deve responder por duplo feminicídio.

O ataque aconteceu após uma briga que começou durante a madrugada, por causa de ciúmes. O casal estava em processo de separação, após 6 anos de casamento. O farmacêutico Felipe Correia Renovato atacou a sogra Daniela de Oliveira Rosa e a esposa Isabela Rosa Renovato. O irmão de Isabela e o filho do casal conseguiram fugir.  

Quando a polícia conseguiu entrar na casa, encontrou a sogra morta. Já a mulher estava viva, foi atendida, mas não resistiu porque teve órgãos vitais atingidos.

A delegada do caso, Veraly Ferraz, ficou chocada com o "cenário de horror" que encontrou no local. Segundo ela, havia sangue em todos cômodos da casa. A estimativa inicial é que a sogra levou cerca de 20 facadas.  

“É uma circunstância que a gente não espera encontrar. Já vi muitas situações, mas quando envolve briga de família, mexe um pouco com a gente. Por mais que a gente esteja acostumado com tanta coisa ruim, quando você vê a casa, é uma cena de horror. Era sangue pra todo lado, casa revirada, bagunçada, não tinha um lugar limpo... Teve briga. Acho que andaram pela casa toda. E infelizmente a sogra estava morta dentro da sala. As facadas foram durante a briga. Ele pegou várias facas e dava nas duas”, relatou Veraly.

Felipe passou por exames toxicológicos, mas não há indícios de que ele estava bêbado ou drogado. A principal suspeita é que ela passou por um “surto” durante a briga por ciúme.

“Quando ele chegou aqui na delegacia, ele estava transtornado. Ele foge dos padrões de autores daqui, porque não usa bebida alcólica, não sua entorpecentes e tem profissão”, observou Veraly.