Brasil Urgente

Pai teme por vingança e torce para que Lázaro Barbosa se entregue

Edenaldo Barbosa tem medo de "as pessoas quererem se vingar dele"

Da Redação, com Brasil Urgente 21/06/2021 • 19:02 - Atualizado em 21/06/2021 • 19:25

O pai de Lázaro Barbosa de Sousa quer que o filho se entregue aos policiais. Lázaro, de 32 anos, está sendo perseguido no Entorno de Brasília há 13 dias pelas mortes de quatro pessoas da mesma família em Ceilândia (DF).

Em entrevista nesta segunda-feira (21) ao Brasil Urgente, Edenaldo Barbosa afirmou ter medo do que pode acontecer com o filho – em especial pelo risco de uma vingança das pessoas.

“Não é medo, mas é que eu tenho medo dos fatos”, disse Edenaldo, que se preocupa com a possibilidade de “as pessoas quererem se vingar dele”.

Segundo informações iniciais, Lázaro poderia ter voltado a Girassol, povoado de Cocalzinho de Goiás, para ver o pai. Edenaldo, porém, saiu de casa – e só foi encontrado pela reportagem durante uma passagem pelo endereço para tratar animais.

“Voltar (a Girassol para ver o pai), eu acredito que não. Mas assim como pode não voltar, pode ser que volte”, disse o pai.

Edenaldo ainda afirmou que gostaria "que ele se entregasse e voltasse no tempo”, e que não deseja a morte “nem para ele, nem para ninguém”.

O pai de Lázaro Barbosa defende que o filho se entregue às autoridades, mas ainda se disse disposto a “abraçar ele, dar todo o apoio”.

“Se ele vier chorando, pedindo desculpa, pedindo perdão e tudo, o papai aqui está com o mesmo coração para abraçar, para dar todo apoio. Mas com arrependimento (do filho) dentro do coração. Mas com esses tipos de coisa, eu fico assombrado, porque eu sou doente. Eu tenho AVC, tenho infarto do coração”, afirmou Edenaldo, que afirmou estar sendo diariamente visitado por policiais para assegurar a proteção dele.

Familiares citam agressões; pai nega

A reportagem ainda falou com familiares de Lázaro Barbosa, que afirmaram que ele era espancado pelo pai na juventude. Edenaldo negou e afirmou sempre ter tido boa relação com os filhos.

“Nunca agredi meus filhos. Eram dois. Se precisasse falar alto, tudo bem. Mas agredir, tirar sangue, é menos verdade”, assegurou o pai de Lázaro, que admitiu que o filho “vinha praticando alguma coisa que não era do agrado” há alguns anos, em referência a crimes.

Ao Brasil Urgente, Edenaldo disse que gostaria que Lázaro fosse “um homem de responsabilidade, um homem sem querer praticar mais do que vem praticando”.

Segundo o pai, Lázaro foi criado na infância pela mãe e por um padrasto.

Tia relata problemas de personalidade

Uma tia de Lázaro, que não teve a identidade revelada, falou também à reportagem e disse que o foragido apresentava problemas de personalidade há vários anos.

“Às vezes ele era um menino carinhoso, brincalhão, mas do pavio curto. Do nada ele mudava, né? Comigo, várias vezes ele veio tirar satisfação de conversinha fiada, cara a cara comigo”, descreveu.

Em 2008, coube à tia informar à mãe de Lázaro que ele era acusado de matar duas pessoas no interior da Bahia. Foi quando o comportamento violento do homem ganhou contornos mais nítidos.

“Dizem que é por causa de um amor não correspondido, que eu acredito que isso não tem fundamentos. Muita mentirada”, afirmou a familiar.

Lázaro Barbosa tem mandados de prisão abertos em pelo menos três estados, por crimes como homicídios, estupros, roubos e porte ilegal de arma de fogo.

A tia também torce para que ele “se entregue, para não ter mais vítimas”. “Pare com isso, meu filho. Dá um basta”, clama.

  • Lázaro Barbosa
  • serial killer do DF
  • Goiás