Brasil Urgente

Polícia identifica dois suspeitos de sequestro de irmão de jogador em SP

Vítima, que é do Paraguai, passou oito dias acorrentada em chácara de Miracatu

Da Redação, com Brasil Urgente 17/09/2021 • 17:42 - Atualizado em 17/09/2021 • 18:11
Vítima passou oito dias acorrentada em chácara de Miracatu
Vítima passou oito dias acorrentada em chácara de Miracatu
Reprodução

A Polícia Civil de Miracatu (SP), no Vale do Ribeira, já identificou dois suspeitos de sequestrar um empresário paraguaio. Eles seriam da região, no sul de São Paulo, e estão foragidos. As informações são do Brasil Urgente.

A vítima contou à polícia que estava na Praia Grande (SP), cidade na Baixada Santista, acompanhada de um amigo em uma churrascaria quando foi sequestrada, colocada no porta-malas de um carro e levada a Miracatu, cidade a cerca de 150 km dali.

A investigação está adiantada. Uma perícia na chácara usada como cativeiro ajudou nas investigações. Segundo a Polícia Civil, o refém estava prestes a ser executado pela quadrilha.

Os bandidos pediam inicialmente US$ 100 mil, mas já haviam avisado a vítima que ela seria morta com ou sem o pagamento de um resgate.

O contato dos sequestradores era um irmão da vítima, jogador de futebol profissional no Paraguai.

Na terça-feira (14), um dia antes da ação policial, o empresário do Paraguai chegou a ser levado a uma área de mata fechada dentro da chácara, onde viu a cova que seria usada para enterrá-lo.

Foram oito dias preso a uma corrente com cadeados. Ao longo desse período, fez apenas duas refeições e tomou um banho – tudo com a corrente presa ao pescoço.

A vítima contou aos policiais civis que sofreu inúmeras sessões de torturas físicas e psicológicas. Ao ser libertado, o refém não tinha forças para deixar o local.

“(A vítima) foi torturada, estava ali com uma corrente no pescoço. Essa corrente permitia que ela fosse do quarto ao banheiro”, descreveu o delegado responsável pela investigação, Carlos Eduardo Ceroni.