Brasil Urgente

Tribunal nega segredo de Justiça em caso de advogado suspeito de matar a namorada

Crime aconteceu no último domingo em Salvador (BA); advogado está preso por feminicídio

da Redação com Brasil Urgente 20/10/2021 • 18:39 - Atualizado em 20/10/2021 • 18:47
Kezia Stefany da Silva Ribeiro e José Luiz de Britto Meira Júnior
Kezia Stefany da Silva Ribeiro e José Luiz de Britto Meira Júnior
Reprodução

O Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA) negou nesta quarta-feira (20) o pedido de segredo de justiça solicitado pela defesa do advogado criminalista José Luiz de Britto Meira Júnior, suspeito de matar a namorada, Kezia Stefany da Silva Ribeiro.

Segundo informações do Brasil Urgente, o tribunal decidiu que o caso é de “interesse público”, devido à grande repercussão, e que os jornalistas não estão “ofendendo a honra” do suspeito.

José Luiz está preso preventivamente no Serviço de Polícia Interestadual (Polinter) pelo crime de feminicídio. Por ser advogado, ele tem direito de ficar em uma sala de Estado-Maior. Se não houver, deverá cumprir prisão domiciliar.

Relembre o caso

O crime aconteceu na madrugada de domingo (17). De acordo com a investigação, José Luiz atirou na boca da namorada durante uma discussão em seu apartamento no bairro do Rio Vermelho, em Salvador, capital baiana. 

Em seguida, levou o corpo da jovem para o Hospital Geral do Estado (HGE), fugiu e foi encontrado posteriormente na casa de familiares, onde foi preso em flagrante.

A defesa do suspeito afirma que a arma disparou acidentalmente. A família de Kesia contesta a versão e diz que o relacionamento era conturbado porque ele tinha ciúmes da mulher.