Notícias

Caseiro confessa assassinatos em GO após se entregar à polícia

Wanderson Mota Protácio matou a esposa grávida, a enteada de dois anos e um fazendeiro em Corumbá de Goiás, no entorno do DF

Flávia Vinhal, da BandNews FM, com informações do Brasil Urgente 04/12/2021 • 09:34 - Atualizado em 04/12/2021 • 11:11
Caseiro suspeito de assassinatos em GO se entrega à polícia após dias de fuga
Caseiro suspeito de assassinatos em GO se entrega à polícia após dias de fuga
Reprodução/Band

O caseiro Wanderson Mota Protácio, de 21 anos, confessou, segundo a Polícia de Goiás, que matou a mulher grávida, a enteada e um fazendeiro em Gameleira de Goiás. Ele se entregou à polícia na manhã deste sábado (04). As informações são da BandNews FM.

O crime aconteceu no dia 28 de novembro e, desde então, ele estava foragido. Após o crime, a Secretaria de Segurança Pública de Goiás montou uma força-tarefa com as polícias Civil e Militar, além da ajuda da Rodoviária Federal, para prendê-lo.

Os três assassinatos aconteceram em Corumbá de Goiás, no Entorno do DF. Segundo a Polícia Civil, primeiro, o suspeito matou a mulher dele que estava grávida, Rânia Aranha Figueiro, de 21 anos, e a enteada Geysa Aranha da Silva Rocha, de dois anos e nove meses.


Criminoso havia sido visto em fazenda da região nesta sexta (03)

Wanderson teria sido visto pela região nesta sexta-feira (3). Segundo o Brasil Urgente, pela manhã de ontem, um homem saiu de uma área de mata e apareceu em uma fazenda de Gameleira de Goiás – cidade a cerca de 100 km do local dos homicídios – para pedir emprego em uma estufa. Quando percebeu que foi reconhecido, o suspeito acabou correndo. Funcionários da fazenda fizeram uma comparação da tatuagem que o caseiro fez no braço e têm absoluta certeza de que os dois são a mesma pessoa.


Outros crimes

O Brasil Urgente teve acesso à decisão da juíza Christiane Gomes Falcão Wayne, que contou na época com o apoio da promotora Melissa Sanchez Ita, representante do Ministério.

Na decisão, a juíza argumenta que a vítima “mudou para o estado do Maranhão e se encontra em endereço incerto, somado ao fato de que o réu não ostenta registros criminais anteriores”.

Ao longo da investigação atual, a polícia vai descobrindo crimes que Wanderson teria cometido antes do triplo assassinato. Em um deles, teria esfaqueado um taxista durante um assalto. Detalhes deste crime, porém, não foram divulgados.