Tamanho de fonte
Atualizado em quinta-feira, 22 de setembro de 2011 - 15h06

Falsa psicóloga vai responder em liberdade

Com a decisão, Beatriz responderá ao processo por estelionato, crime contra as relações de consumo e falsidade ideológica em liberdade

O Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro concedeu habeas corpus para a falsa psicóloga Beatriz da Silva Cunha que tinha sido presa em abril deste ano, por tratar de crianças e jovens portadores de autismo sem ser formada.

Com a decisão, Beatriz vai responder ao processo por estelionato, crime contra as relações de consumo e falsidade ideológica em liberdade.

Beatriz atuava há 12 anos e o marido dela era o responsável pela administração da clínica. O casal teria obtido vantagem ilícita de cerca de 400 mil reais. Na lista de vítimas constam 31 pacientes.

Nesta quinta-feira à tarde, a falsa psicóloga será interrogada. Os pais de ex-pacientes prometem fazer uma vigília no local como protesto contra a decisão da Justiça.