Notícias

Com ventos de 110 km/h, ciclone Yakecan coloca autoridades em alerta máximo

Litoral do RS e de SC está em "alerta vermelho" para os ventos que devem ganhar força nas próximas horas

Da redação 17/05/2022 • 19:16 - Atualizado em 17/05/2022 • 20:54

A chegada de um ciclone ao Brasil deixou a Defesa Civil em alerta no Sul do país. Os ventos da tempestade subtropical Yakecan podem ganhar força nas próximas horas, chegando a 100 km/h. O Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia) classificou a costa do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina com o alerta vermelho, representando grande perigo.

Em nota, a Marinha do Brasil afirmou que fenômeno se formou sobre o mar, a cerca de 900 km do litoral do Rio, e seguia em direção ao litoral brasileiro. Durante a tarde desta terça (17), o ciclone avançou pela costa do RS, como ventos de mais de 90 km/h.

O ciclone foi classificado como tempestade subtropical e foi batizado de Yakecan, que em tupi guarani significa som do céu. Além de intenso, ele tem uma trajetória incomum, se desloca em direção ao continente, e não para o alto-mar.

De acordo a previsão do tempo, até a noite de quarta (18), o ciclone poderá se intensificar e ser classificado como tempestade tropical -- quando as rajadas de vento poderão superar os 110 km/h, do extremo sul e leste do Rio Grande do Sul ao litoral sul de Santa Catarina.

A partir de terça, o ciclone avança em direção ao norte, atingindo a parte sul do litoral norte gaúcho. Por isso, em Porto Alegre, a maior intensidade dos ventos deve ocorrer durante a noite.

Na quarta-feira (18), a instabilidade segue em direção ao estado catarinense, fazendo com que o vento sopre forte na serra. Devido às baixas temperaturas, pode haver neve nas partes mais elevadas do Rio Grande do Sul e Santa Catarina.

Ainda que com menor intensidade, o fenômeno também deve atingir o litoral da região Sudeste no decorrer da semana. A costa deve provocar ressaca, com grandes ondas até a região dos Lagos, no Rio de Janeiro.

A Climatempo alerta que o ciclone é “um sistema com potencial para provocar ventania perigosa, com risco de destelhamento de coberturas frágeis, de queda de galhos grandes e outros transtornos”. Além disso, há risco de ressaca no litoral do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina. 

Pelo menos 15 prefeituras suspenderam aulas por conta da intensidade das rajadas. No mar, as ondas podem chegar aos quatro metros.

Além do ciclone, a neve

A tempestade também vai derrubar as temperaturas. Há possibilidade de neve nas serras gaúcha e catarinense durante a noite de terça-feira (17) e madrugada de quarta-feira (18).

Segundo o Inmet, a onda de frio continuará atuando no Centro-sul do Brasil nos próximos dias. Na madrugada de segunda para terça, houve formação de geada em grande parte do Paraná, incluindo a capital Curitiba e a região metropolitana, além do sul do Mato Grosso do Sul e de São Paulo.