Notícias

Corpo de jovem pode ser exumado para confirmar envenenamento por madrasta

Mulher foi presa nesta sexta-feira (20), suspeita de envenenar enteados

Da Redação, com Band News FM Rio 21/05/2022 • 09:20 - Atualizado em 21/05/2022 • 09:33
Cíntia Cabral foi presa nesta sexta-feira; à direita, a enteada dela, Fernanda
Cíntia Cabral foi presa nesta sexta-feira; à direita, a enteada dela, Fernanda
Reprodução

A Polícia Civil analisa a possibilidade de pedir a exumação do corpo de uma jovem de 22 anos para saber se ela foi envenenada pela madrasta, em Realengo, na Zona Oeste do Rio de Janeiro. 

Cintia Mariano Dias Cabral, de 49 anos, foi presa nesta sexta-feira (20), em cumprimento de mandado de prisão temporária. 

Além do possível crime contra Fernanda Carvalho Cabral, de 22 anos, em março, a mulher também é investigada pela Polícia Civil por tentativa de homicídio contra seu outro enteado, Bruno Carvalho Cabral, de 16 anos.

Suspeita do pai

As investigações começaram esta semana, após o pai das vítimas suspeitar da esposa. No início da tarde, Cintia prestou depoimento na Delegacia de Realengo, responsável pelo caso.

No dia 15 de março, Fernanda deu entrada no Hospital Municipal Albert Schweitzer, que fica no mesmo bairro, acompanhada por familiares. A jovem chegou a ficar internada na UTI da unidade, mas morreu após uma parada cardíaca. 

Amigos da família afirmam que a causa da morte chocou, pois Fernanda era uma "menina muito saudável". Segundo a polícia, na época, chegaram a acreditar que a jovem tinha passado por mal após uso de algum suplemento.

No entanto, a mãe da vítima, Jane Oliveira, disse que desconfiou que a filha tivesse sido envenenada.

Enteado também passou mal

Dois meses depois, no dia último dia 15 de maio, Bruno também deu entrada no Hospital Municipal Albert Schweitzer. 

Amigos da família afirmam que Bruno começou a se sentir mal depois que comeu um feijão preparado pela madrasta. O adolescente recebeu alta na quinta-feira (19), e passa bem.

A proximidade dos casos e o mau relacionamento de Cíntia com os enteados levantaram as suspeitas por parte da família, que procurou a delegacia.