Notícias

Covid-19: Brasil volta a superar 200 mil novos casos em 24h e bate novo recorde

Com 224.567 novos diagnósticos, País ainda teve maior registro diário de mortes desde 12 de novembro, com 570

Da Redação, com Jornal da Band 26/01/2022 • 20:35 - Atualizado em 26/01/2022 • 21:34
Em toda a pandemia, são 24.535.884 casos registrados
Em toda a pandemia, são 24.535.884 casos registrados
Reprodução

Nesta quarta-feira (26), o Brasil voltou a registrar um novo recorde de casos da Covid-19 desde o início da pandemia, registrando mais de 200 mil casos pela segunda vez em sete dias. Segundo dados do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass), foram 224.567 novos diagnósticos nas últimas 24 horas.

Além disso, o País teve o maior número de registro diário de mortes desde 12 de novembro de 2021, com 570, chegando a 624.413 óbitos em toda a pandemia. A média móvel de mortes, com dados dos últimos sete dias, segue aumentando, com 365.

Em toda a pandemia, são 24.535.884 casos registrados, com 22.036.168 pessoas recuperadas.

Ocupação de leitos de UTI passa de 80% em seis estados

A ocupação de leitos de UTI por causa da covid passa de 80% em seis estados e no Distrito Federal. O boletim da Fundação Oswaldo Cruz aponta para piora no cenário da pandemia no país, com mais capitais na chamada “zona de alerta crítico” de ocupação de leitos de UTI para adultos no Sistema Único de Saúde (SUS). 

No Distrito Federal, a situação é crítica: são 98% dos leitos de UTI ocupados. Em seguida, vem Rio Grande do Norte (83%), Goiás (82%), Piauí (82% ), Pernambuco (81%), Espírito Santo e Mato Grosso do Sul (80%).

Na zona de alerta intermediário estão 12 estados, sendo eles: Mato Grosso (78%), Tocantins (77% ), Pará (76%), Amazonas e Ceará (75%).

As capitais Rio de Janeiro (98%), Belo Horizonte (95%) e Fortaleza (93%) estão bem perto de atingir a ocupação máxima dos leitos.

Diante da piora do quadro, o Ministério da Saúde vai prorrogar por mais 30 dias o pagamento de 14 mil leitos de UTI em todo o país. O governo também adiantou, que se necessário, o número de vagas subirá de 23 mil para 46 mil.

A alta taxa de transmissão da variante ômicron já levanta a possibilidade de aplicação de uma quarta dose da vacina. O tema pode entrar na pauta da próxima reunião da Câmara Técnica de Assessoramento em Imunização da covid, nesta sexta.