Notícias

Covid-19: Efeitos colaterais de vacina são normais e podem até ser bom sinal; entenda

Processo inflamatório é reação do corpo ao imunizante e pode ocorrer com outras vacinas. Não importa se é Astrazeneca, Pfizer ou Coronavac: o importante é tomar as duas doses da vacina!

Emanuel Colombari e Talita Marchao 15/06/2021 • 06:00 - Atualizado em 15/06/2021 • 16:34
Vacina contra a Covid-19
Vacina contra a Covid-19
Governo

Quase todo muito conhece alguém ou já ouviu falar de algum caso em que a pessoa que tomou a vacina contra a Covid-19 e enfrentou alguns efeitos colaterais. Mas saiba que eles são normais –e podem até ser um bom sinal, já que indicam que o corpo está reagindo e criando imunidade contra o novo coronavírus.

É bem comum que vacinas, em geral, apresentem efeitos colaterais. Afinal, a ideia da vacina é expor o sistema imunológico a um antígeno fraco para estimular a produção de anticorpos. 

Para entender o motivo pelo qual estes efeitos colaterais ocorrem no corpo humano, a Band conversou com especialistas que explicaram o processo inflamatório que é provocado não só pela vacina contra a Covid-19, mas também por qualquer outra vacina que a gente toma no plano de imunização.

Os especialistas ainda dão uma dica para quem está usando os efeitos colaterais para escolher qual vacina tomar: o organismo de cada pessoa acaba reagindo de uma forma diferente, e reações graves são raríssimas.

Conversamos com Daniel Mendes, doutor em Farmacologia e pós-doutorado em Imunologia, associado ao Laboratório de Imunobiologia da UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina), e com o professor Sergio Surugi, doutor em Ciências Biológicas e professor de Imunologia da PUCPR (Pontifícia Universidade Católica do Paraná). 

Devo me preocupar com os efeitos colaterais da vacina contra Covid? 

“Ao tomar uma vacina, nosso organismo gera uma reação inflamatória, o que pode ser mais intenso em algumas pessoas e menos em outras - às vezes tão fraco que a pessoa nem sinta desconforto algum”, explica o dr. Daniel Mendes.

Segundo Mendes, o nosso sistema imunológico reconhece os componentes da vacina e gera esse processo inflamatório para estabelecer a defesa do organismo contra o patógeno. “Assim, aparecem aqueles sinais clássicos de inflamação, como dor no local da aplicação, algumas vezes febre e mal-estar”, diz.

É o exemplo da vacina BCG, contra a tuberculose. É comum que a pessoa vacinada tenha dores após receber a aplicação e ganhe uma cicatriz no braço. 

No caso das vacinas contra a Covid-19, a atenção aos efeitos colaterais é a mesma. “As vacinas para Covid-19 devem ter os mesmos cuidados que todas as outras vacinas”, diz Mendes. 

O efeito colateral da vacina significa pessoa está desenvolvendo sintomas da Covid-19? 

Não, já que as vacinas que são utilizadas hoje no Brasil utilizam pedaços do vírus ou vírus mortos. 

“O que acontece é que os sintomas mais comuns das formas leves da Covid-19 são parecidos com os de ‘uma gripezinha’, tais como febre, dores no corpo e cansaço, o que são os mesmos que acontecem durante o processo inflamatório de uma vacinação qualquer”, descreve Mendes. 

“Desta forma, as pessoas podem acabar associando erroneamente efeitos colaterais com sintomas”, completou. 

Portanto, se você tomou a vacina e sentiu febre, não se preocupe: seu corpo está reagindo (bem) à vacina. “A vacinação leva a uma reação inflamatória, e às vezes a pessoa responde de maneira mais intensa”, concordou Surugi. 

Tomei a vacina contra a Covid e não tive nenhum efeito colateral. Será que a vacina não fez efeito? 

A falta de efeitos colaterais não quer dizer que a pessoa não esteja desenvolvendo a chamada resposta imunológica. 

 “A melhor forma de avaliar se o corpo está gerando um processo de imunização é avaliar atividade celular, produção de mediadores inflamatórios, produção e eficiência de anticorpos, dentre outros, feito por meio de testes clínicos em laboratório”, completou. 

 Se tiver dúvida, espere alguns dias e faça um teste sorológico, que é capaz de detectar anticorpos para a Covid-19. Lembre-se de que o teste rápido feito com uma gota de sangue não funciona para detectar o sucesso da imunização.

O corpo pode apresentar alguma reação adversa mais preocupante após a vacina? 

Pode. Mas, em geral, as reações adversas não preocupam até aqui. “Os eventos adversos foram de intensidade leve, de curta duração. Não justificam uma preocupação maior com segurança”, disse Surugi. 

O especialista lembra que riscos graves “são raríssimos” e representam “pouquíssimos casos”. Em geral, o percentual que reflete a população vacinada é consideravelmente menor que os riscos entre os não vacinados. 

“Vamos falar do tromboembolismo, por exemplo, que é atribuído a algumas vacinas de RNA. Qual é o risco de ter a doença se não tomar vacina? É muito maior”, lembra. 

Em comunicado do dia 7 de abril, a Anvisa admitiu a possibilidade de coágulos sanguíneos associados à trombocitopenia (diminuição do número de plaquetas) que poderiam estar ligados à vacina Oxford/Astrazeneca/Fiocruz. Mas lembrou que “as ocorrências são extremamente raras”. 

Existe alguma contraindicação para a hora de tomar a vacina? Posso tomar bebida alcoólica no mesmo dia, por exemplo?

A recomendação não difere de qualquer orientação do dia a dia: evitar excessos. Pode comer de tudo, mas com moderação. Pode beber, mas evite exageros. 

A explicação é simples: o corpo vai precisar de energia naquele momento. Por isso, o ideal é não direcionar energia para outras tarefas, como a digestão de alimentos mais pesados por muito tempo. 

 “A vacinação estimula o sistema imune, que é um evento metabólico que demanda muita energia. Tem um desgaste metabólico um pouco acima do que a gente gasta no dia a dia”, explicou Surugi. 

O repouso pode ajudar, mas fique tranquilo: não é necessário evitar todo e qualquer movimentação. “Não seria recomendado fazer exercícios muito fortes nas 24 horas após a vacinação”, acrescentou. 

Ou seja: logo depois da vacina, pode caminhar, andar de bicicleta e até tomar uma cervejinha. As recomendações para evitar aglomerações e usar máscara sempre que possível seguem valendo. 

Existe algum efeito colateral que demande cuidado médico? Posso tomar algum remédio para algum mal-estar da vacina? 

A automedicação é sempre um risco para o paciente. No caso das vacinas contra a Covid-19 não é diferente. 

“As recomendações para as vacinas contra Covid-19 são as mesmas que as demais vacinas. Pessoas com algum tipo de alergia a algum componente presente na vacina devem ter mais atenção e consultar assistência médica antes de se vacinarem”, disse Mendes. 

“Caso os efeitos colaterais sejam de muito desconforto, a pessoa deve procurar assistência médica especializada e nunca se automedicar”, explica.

Veja também:
Quem deveria ter um oxímetro em casa? 
Tenha cuidado com testes rápidos para Covid

Se você tiver algum histórico de alergia, vale conversar com um imunologista antes de tomar a primeira dose da vacina. 

Para qualquer dúvida, a Anvisa e os fabricantes disponibilizam as bulas das vacinas que estão disponíveis para imunização: Astrazeneca/Fiocruz; Coronavac/Butantan; Pfizer. AJanssen, que deve começar a ser aplicada em breve, também tem a bula disponível. A Sputnik V, fabricada pelo laboratório União Química, não tem bula disponível no site da Anvisa. O laboratório foi procurado pela Band por e-mail, mas não respondeu.

Astrazeneca, Coronavac ou Pfizer: Posso escolher a vacina que vou tomar pelo efeito colateral? 

Você já deve ter lido relatos de pessoas que chegam aos postos de saúde buscando vacinas de determinadas farmacêuticas – e até recusando a dose quando a vacina é de outra fabricante. Mas os especialistas alertam que a prática não é recomendada. 

“Claro que as vacinas são diferentes, mas a gente tem que começar a perceber a vacinação como um processo coletivo, não como um processo individual”, explicou Surugi. 

“Mesmo as vacinas que têm uma vacina com eficácia menor, elas são extremamente eficientes onde a cobertura vacinal é grande”, completou. 

Ou seja: pode tomar vacina de qualquer fabricante. O importante é que o percentual de população vacinada onde você está seja (bem) alto. 

Tenho comorbidade e chegou minha vez de tomar a vacina, mas há pessoas mais velhas que ainda não receberam as doses. Posso esperar para tomar mais adiante e deixar a vez para essas pessoas? 

Não. Embora pareça uma atitude de altruísmo, o gesto atrapalha a cobertura vacinal. Qualquer vacinação é um pacto social. 

Para que a pandemia seja vencida, é importante que todo mundo esteja vacinado o quanto antes. Inclusive os mais jovens. 

“Se a pessoa foi convocada e cumpre com os requisitos da ordem da vacinação, ela deveria ser vacinada. Todos precisam”, explicou Surugi. “(A pessoa que adia) não está ajudando ninguém. Às vezes até é uma desculpa para não demonstrar que não quer ser vacinado. ” 

Dito tudo isso, posso tomar a vacina sem medo? 

“Deve tomar”, diz Surugi, que lembra: o fim da pandemia terá reflexos positivos não apenas na saúde da população, como também em vários outros setores. 

“Você estará contribuindo para melhorar economia, acabar com mortes, evitar perda de emprego e voltar à normalidade o mais rápido possível”, listou. 

Se chegou sua vez, não perca tempo!

  • Covid-19
  • vacina