Notícias

CPI da Covid adia leitura e votação do relatório final

Decisão foi divulgada neste domingo; novo calendário ainda não foi definido

da Redação com BandNews TV 17/10/2021 • 15:44 - Atualizado em 17/10/2021 • 15:51
Os senadores Renan Calheiros, Randolfe Rodrigues e Omar Aziz
Os senadores Renan Calheiros, Randolfe Rodrigues e Omar Aziz
Pedro França/Agência Senado

Os senadores integrantes da cúpula da CPI da Covid decidiram adiar a leitura e a votação do relatório final da comissão, que estavam previstas inicialmente para as próximas terça (19) e quarta-feira (20). O novo calendário ainda não foi definido. A decisão do relator, senador Renan Calheiros (MDB-AL), foi divulgada neste domingo (17) pela BandNews TV.

Também foi cancelado o depoimento de Nelson Mussolini, representante do Conselho Nacional de Saúde (CNS) e integrante da Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no Sistema Único de Saúde (Conitec), que aconteceria nesta segunda (18).

Os motivos do adiamento não foram informados.

Prévias do relatório

O senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE) protocolou na última sexta (15) no Senado Federal o primeiro relatório com sugestões ao parecer final da CPI da Covid

O documento pede o indiciamento de 18 pessoas, incluindo o presidente da República, Jair Bolsonaro, o ministro da Economia, Paulo Guedes, e os ex-ministros da Saúde e das Relações Exteriores, Eduardo Pazuello e Ernesto Araújo.

Segundo informações da BandNews TV, o texto é separado em cinco tópicos: gestão e definição de políticas públicas do combate à pandemia, mortes evitáveis, indícios de mau uso de recursos públicos, análise de pareceres, e notas técnicas, além de propostas legislativas.

Vídeo: Senador apresenta texto “alternativo”

Os governistas preparam também outro documento com foco no desvio de dinheiro público por partes dos estados.

Depois da apresentação de todos os relatórios, os senadores vão definir qual versão final eles preferem. Há possibilidade de haver um apensamento, ou seja, a união entre pareceres.

Em seguida, caberá à PGR (Procuradoria-Geral da República) dar seguimento ou não às sugestões apresentadas. 

Bolsonaro ironiza

O presidente Jair Bolsonaro ironizou seu possível indiciamento no relatório final da CPI. Em conversa com apoiadores na entrada do Palácio do Planalto, ele ainda criticou o senador relator da comissão parlamentar de inquérito. 

Vídeo: Bolsonaro ri do relatório

“Sabiam que fui indiciado por homicídio? Alguém está sabendo? Na CPI! O Renan Calheiros me indiciou por homicídio. O Renan está achando que não vou dormir porque ele está me chamando de homicida. ‘Tá’ de sacanagem. O que passa na cabeça dele? Não vi nenhum chefe de Estado ser chamado de homicida e eu dei dinheiro a todos eles”, disse no espaço conhecido como “cercadinho”.