Notícias

Cresce apoio de jovens alemães à ultradireita, diz pesquisa

Preferência entre jovens de 14 a 29 anos pelo partido de ultradireita AfD subiu de 9% em 2022 para 22% neste ano. Legendas que integram a coalizão do governo federal perderam espaço na mesma faixa etária.

Por Deutsche Welle

Os jovens alemães estão hoje mais propensos a apoiar o partido de ultradireita Alternativa para a Alemanha (AfD) do que nos dois últimos anos, segundo uma pesquisa divulgada nesta terça-feira (23/04).

Os autores do estudo Youth in Germany 2024 (Juventude na Alemanha 2024) afirmaram que os jovens com menos de 30 anos estão cada vez mais insatisfeitos com sua situação social e econômica, e que os temores sobre sua prosperidade futura têm feito eles se inclinarem à direita.

O tema mais emblemático da AfD é o discurso anti-imigração, e os dados mostraram que a migração está entre as principais preocupações dos jovens.

O que os números mostraram?

Cerca de 22% dos 2.000 jovens com idade entre 14 e 29 anos que responderam à pesquisa disseram que votariam na AfD se pudessem votar em eleições parlamentares neste momento.

Esse percentual é mais do que o dobro do registrado há dois anos. Em 2022, apenas 9% dos jovens disseram que votariam na AfD, e em 2023, 12%.

A pesquisa mostrou ainda que 18% dos jovens votariam no Partido Verde, nove pontos percentuais a menos do que os 27% de 2022.

No mesmo período, o apoio nessa faixa etária ao Partido Liberal Democrático (FDP) caiu de 19% para 8%, enquanto ao Partido Social Democrata (SPD), de centro-esquerda, de 14% para 12%.

Por outro lado, o apoio aos conservadores da União Democrata Cristã (CDU) e da União Social Cristã (CSU) subiu de 16% para 20%, enquanto a nova aliança de esquerda comandada por Sahra Wagenknecht obteve 5%.

Com o que os jovens estão preocupados?

A pesquisa foi realizada em janeiro e fevereiro e constatou que os jovens estavam mais insatisfeitos com sua situação social e econômica, em comparação com os anos anteriores.

Após os efeitos da pandemia, os autores disseram que as preocupações econômicas e políticas, por exemplo devido à inflação, aos altos aluguéis, às guerras na Ucrânia e no Oriente Médio ou à divisão da sociedade, assumiram o centro das atenções.

A preocupação com as mudanças climáticas diminuiu, segundo o estudo, mas os temores cresceram quando se trata de questões como inflação, economia e pobreza na velhice.

Os jovens estavam especialmente preocupados com a inflação (65%), moradias caras (54%), pobreza na velhice (48%), a divisão da sociedade (49%) e o aumento dos fluxos de migrantes e refugiados (41%).

"Podemos falar de uma clara mudança à direita na população jovem", disse o autor Klaus Hurrelmann. "Enquanto os partidos do governo [de coalizão] continuam a cair em popularidade, a AfD é particularmente popular." O atual governo federal alemão é governado por uma coalizão entre o SPD, os Verdes e o FDP.

Uma organização que reúne a militância jovem da AfD, a Junge Alternative, foi recentemente classificada pelo serviço de inteligência interna da Alemanha como extremista de direita.

bl (dpa, epd)

Tópicos relacionados

Mais notícias

Carregar mais