Notícias

Doria diz que SP comprará 40 milhões de doses de vacinas da Pfizer e Sputnik V

Da Redação, com Rádio Bandeirantes e Jornal da Band 02/03/2021 • 19:47 - Atualizado em 02/03/2021 • 20:21
Governador João Doria
Governador João Doria
Divulgação/Governo de São Paulo

São Paulo vai comprar 20 milhões de doses da vacina da Pfizer e 20 milhões de unidades da Sputnik V. O acordo foi confirmado pelo governador João Doria, durante reunião online com 618 prefeitos nesta terça-feira (2). As informações são de Maira Di Giaimo, da Rádio Bandeirantes

Além dos 40 milhões de frascos, também serão adquiridas 20 milhões de unidades da CoronaVac exclusivamente para o estado.

Segundo autoridades presentes na reunião, nenhuma nova medida de restrição foi anunciada ainda. Mas os gestores municipais falaram sobre a situação da pandemia nas cidades e alguns pediram medidas mais rígidas de combate à pandemia.

A tendência é a adoção de medidas restritivas em todo o Estado, que devem ser anunciadas em breve. O centro de contingência defende a fase vermelha, com restrição total a comércios e serviços não essenciais por 15 dias. O objetivo é diminuir a circulação de pessoas.

“O momento é de união e mobilização diante de uma circunstância gravíssima como essa. As duas piores semanas desde o início da pandemia estão por vir, nós temos que estar preparados. Não podemos estar ausentes, indiferentes, tratarmos isso com frieza ou debaixo de pressões que não sejam exclusivamente pela proteção à vida”, disse Doria.

São Paulo vê o aumento na taxa de ocupação dos leitos de UTI, além de registrar o dia com mais mortes desde o início da pandemia nesta terça: 468 em 24h, totalizando 60.014 vítimas fatais. 

O governo avalia manter as escolas abertas. A Grande São Paulo atualmente está na fase laranja, com estabelecimentos funcionando com horários restritos e toque de restrição a partir das 23h. 

Vacinação

Com o avanço da pandemia, a abertura de dois novos pontos de vacinação foi antecipada na capital: Ginásio do Ibirapuera e o Teatro Paulo Eiró, em Santo Amaro, que passam a funcionar a partir desta quarta.

  • pandemia
  • são paulo
  • covid-19
  • uti
  • vacinas