Notícias

Doria ironiza após declaração à nação de Bolsonaro: "Leão virou rato"

Governador de SP é adversário político do presidente, que divulgou carta para contornar crise entre poderes

Da Redação 09/09/2021 • 18:43 - Atualizado em 09/09/2021 • 19:26
Governador João Doria é rival político de Bolsonaro
Governador João Doria é rival político de Bolsonaro
Governo do Estado de São Paulo/Divulgação

Governador de São Paulo e adversário político de Jair Bolsonaro, João Doria (PSDB) ironizou a declaração à nação publicada em Diário Oficial nesta quinta-feira (9), manifesto em tom conciliatório onde o presidente tenta contornar a crise entre os poderes alvo de críticas entre políticos e empresários, acentuada pelos seus discursos nos atos de 7 de setembro.

“O Leão virou rato. Grande dia”, postou o tucano em seu perfil no Twitter, usando emojis e o bordão que Bolsonaro tornou famoso nas redes.

Doria e Bolsonaro chegaram a ser aliados durante a campanha eleitoral de 2018, mas os dois se distanciaram desde o início da pandemia, em abril de 2020, já que o presidente foi grande crítico de medidas restritivas nos estados para tentar conter a disseminação da Covid-19, defendidos pelo governador paulista, que é cotado como pré-candidato às eleições presidenciais de 2022.

O manifesto tem 10 pontos e foi publicado no site do Planalto e no Diário Oficial da União. Dentre eles, Bolsonaro diz que não tinha a "intenção de agredir quaisquer dos Poderes". O presidente afirma ainda que suas palavras se decorreram “do calor do momento e dos embates que sempre visaram o bem comum”.

A informação sobre a retratação foi antecipada com exclusividade pelo jornalista da Band Eduardo Oinegue. Ele revelou, inclusive, que a nota havia sido feita após longa reunião com Temer em Brasília, em encontro que durou pouco mais de cinco horas, em que mandou buscar o líder do PMDB para encontro em Brasília com um avião da Força Aérea Brasileira.

Em entrevista exclusiva no Brasil Urgente, Temer disse fez o esboço do documento oficial, com Bolsonaro apenas fazendo uma “pequena observação” no texto divulgado.

O gesto acontece após as fortes repercussões no meio político pelos discursos de Bolsonaro em Brasília e São Paulo, em meio aos atos de 7 de setembro pelo País e as ameaças de "enquadrar” o STF. Em discurso, Bolsonaro afirmou que não cumpriria as decisões de Alexandre de Moraes, chamando-o de “canalha”.

Veja a reação de políticos após declaração à nação de Bolsonaro:

Vídeo: Bolsa dispara após carta de Jair Bolsonaro