Notícias

Engenheiro é sequestrado por quadrilha PIX e resgate tem perseguição em SP

Caso aconteceu na noite de sexta-feira (14), no Morumbi, Zona Sul de São Paulo

Matheus Pastori 15/01/2022 • 09:06 - Atualizado em 15/01/2022 • 09:20
Engenheiro é sequestrado por quadrilha PIX e resgate tem perseguição em SP
Engenheiro é sequestrado por quadrilha PIX e resgate tem perseguição em SP
Reprodução

Na noite desta sexta-feira (14), um engenheiro francês, de 35 anos, foi abordado na região do Morumbi, Zona Sul de São Paulo, por um carro que encostou na traseira de seu veículo. A vítima estava indo para casa a bordo de uma BMW X1 quando saiu para avaliar a batida e foi rendido por dois suspeitos, que anunciaram o assalto. 

Mais tarde, a Polícia conseguiu liberar o engenheiro e identificar o caso como mais uma ação da quadrilha PIX. A abordagem dos criminosos aconteceu no cruzamento das avenidas Morumbi e Giovanni Gronchi. De acordo com a Corporação, no momento do crime, um terceiro envolvido fugiu com o carro utilizado no golpe, enquanto os outros dois sequestraram a vítima. 

Munidos de simulacros de armas de fogo, eles assumiram a direção da BMW, fazendo o engenheiro refém. Com ameaças de morte, os assaltantes exigiram de imediato o celular e um tablet, além de senhas bancárias para transações via PIX. 

Como o aparelho móvel do engenheiro estava descarregado, os bandidos decidiram levá-lo até um cativeiro na comunidade de Paraisópolis, onde poderiam ter acesso a energia e realizar as transferências 

Neste meio tempo, uma equipe da PM suspeitou de manobras perigosas feitas pelo carro, conduzido por um dos sequestradores. Assim, houve ordem de parada, que foi desrespeitada e deu início a uma breve perseguição. No cruzamento das duas avenidas, os bandidos foram alcançados e logo o engenheiro afirmou aos militares que estava sendo vítima de um sequestro. 

O francês foi libertado e os bandidos presos. A dupla confessou o crime e a vítima, apesar de muito assustada, não se feriu. Há 7 anos morando no Brasil, o engenheiro afirmou que, até então, nunca tinha sofrido uma ação tão violenta.

O carro, o celular e o tablet foram restituídos. Já o  caso foi registrado pelo 89 DP, onde é investigado.