Notícias

Executiva da Huawei volta para a China após três anos em prisão domiciliar no Canadá

Meng Wanzú chegou a um acordo com promotores norte-americanos, que retiraram um pedido de extradição, e ganhou a liberdade, durante uma audiência na corte de Vancouver

Da Redação, com BandNews TV 25/09/2021 • 15:52 - Atualizado em 25/09/2021 • 17:00

A diretora financeira da fabricante chinesa de tecnologia Huawei voltou hoje para a China depois de passar quase três anos em prisão domiciliar no Canadá, acusada de fraude financeira nos Estados Unidos.

Meng Wanzú chegou a um acordo com promotores norte-americanos, que retiraram um pedido de extradição, e ganhou a liberdade, durante uma audiência na corte de Vancouver. Logo depois, ela deixou o país com destino à cidade chinesa de Shenzen. No acordo, a executiva teria concordado em admitir que cometeu delitos. 

Ela foi acusada ter violado sanções impostas pelo governo dos Estados Unidos ao Irã. Em 2018, um tribunal de Nova York emitiu um mandado de prisão para Meng, acusada de mentir para o banco HSBC sobre a relação da Huawei com a subsidiária Skycom, que vendia equipamentos para o Irã, colocando o banco em risco de violar as sanções americanas contra o Irã.