Notícias

Exposição em BH brinca com a ilusão de ótica

Dá para entrar na piscina e não se molhar

da redação 26/09/2021 • 17:04 - Atualizado em 27/09/2021 • 17:08
A exposição brinca com a percepção do público
A exposição brinca com a percepção do público
Foto: Divulgação/CCBB

A exposição das obras do artista argentino Leandro Erlich, em cartaz em Belo Horizonte, mexe com a forma como o público vê cenas banais do cotidiano. 

Algumas experiências possíveis entre as 19 instalações são entrar em uma piscina sem se molhar e sentar em uma sala de aula e ver refletida no espelho a imagem do ambiente e do próprio espectador modificadas. 

Outra característica das obras é a de ativar o modo de vida contemporâneo, com incentivo aos espectadores para registrarem suas visitas nas redes sociais.

O Economista Thomas Cristofaro ficou impressionado com as instalações. “Uma obra fantástica, uma ilusão de ótica , você acha que tudo é espelho, demora  a cair a ficha e quando cai, é surpreendente.” Afirmou.

Entre as criações do argentino para apreciar estão elevadores flutuantes e janelas para jardins imaginários que funcionam como uma espécie de jogo para testar quem está prestando atenção. Cada ilusão de ótica só se materializa com a presença do público. 

Por esse motivo, as obras causam tensão pelo mistério antes da aproximação dos visitantes e também exigem atenção para compreender o que está se vendo.

É bem interessante a gente vê um corredor com várias portas e tem uma profundidade e realmente não tem nada se for do outro lado

“A Tensão” segue em cartaz até 22 de novembro no Centro Cultural Banco do Brasil, localizado na Praça da Liberdade, 450, Funcionários, em Belo Horizonte. 

A entrada é gratuita e o museu está aberto de quarta a segunda, das 10h às 22h. Para acesso ao prédio, é necessária a emissão de ingresso através do site da instituição. 

  • exposição
  • ilusão
  • Belo Horizonte
  • Minas Gerais