Notícias

Fiscalização inibe festa clandestina e aborda mais de 100 aglomerações em SP

Balanço é preliminar do Comitê de Blitze do Governo do Estado de São Paulo

Marilia Montich, do Metro Jornal 28/03/2021 • 18:17
 27 estabelecimentos foram inspecionados durante as ações da Vigilância Sanitária Estadual
27 estabelecimentos foram inspecionados durante as ações da Vigilância Sanitária Estadual
Divulgação/Governo do Estado de SP

Balanço preliminar do Comitê de Blitze do Governo do Estado de São Paulo realizadas na noite da última sexta-feira (dia 26) resultaram na abordagem de 102 pontos de aglomeração pela Polícia Militar e no fechamento de uma casa noturna que promovia festa clandestina.

Uma balada ilegal no Centro de São Paulo que previa 250 pessoas foi inspecionada, encerrada, autuada e interditada pela Vigilância Sanitária estadual com apoio da força-tarefa.

Além da festa clandestina, na região de Pinheiros foi autuado e interditado um salão de beleza, atividade não permitida durante a Fase Emergencial.

Uma empresa de segurança na região do Jabaquara também foi autuada, inclusive pela identificação de pessoas sem máscaras.

No total, 27 estabelecimentos foram inspecionados durante as ações da Vigilância Sanitária Estadual.

Trabalho de fiscalização

O Comitê de Blitze foi criado em 12 de março em parceria com a Prefeitura de São Paulo. O objetivo é reforçar as fiscalizações e o cumprimento das medidas restritivas da fase emergencial e evitar a propagação do coronavírus. Festas e aglomerações estão proibidas.

Integram o Comitê agentes da Guarda Civil Metropolitana e da Covisa (Coordenadoria da Vigilância Sanitária) pela Prefeitura de São Paulo. Pelo Governo do Estado, atuam profissionais da Vigilância Sanitária, Procon e das Polícias Civil e Militar.

Qualquer pessoa pode denunciar festas clandestinas e funcionamento irregular de serviços não essenciais pelo telefone 0800-771-3541 e também no site ou pelo e-mail secretarias@cvs.saude.sp.gov.br, do Centro de Vigilância Sanitária.

Fase emergencial

O governo de São Paulo anunciou que a Fase Emergencial será prorrogada até o dia 11 de abril no Estado. A previsão inicial era de que a medida terminasse no dia 30 deste mês.

A Fase Emergencial estende a restrição de funcionamento de 14 atividades comerciais. Assim, serviços de retirada de alimentos, celebrações religiosas coletivas, atividades esportivas e lojas de material para construção, entre outras, têm suas atividades proibidas nesse período.

A medida determina ainda a ampliação do toque de recolher, que agora passa a valer entre 20h e 5h. Todas as aglomerações e o uso de todos os parques públicos no Estado também estão proibidos.

Nesta fase, apenas os serviços de delivery e drive-thru podem continuar funcionando normalmente.

De acordo com o governo, as medidas provocam a remoção temporária de 4 milhões de pessoas de circulação nos municípios.

Clique aqui para ler mais textos do Metro Jornal

  • aglomeração
  • sp