Notícias

G7: Direito de defesa de Israel se transformou em vingança em Gaza, diz Lula

Presidente brasileiro participou, na Itália, da sessão de engajamento externo da Cúpula do G7, reunião de líderes de sete das maiores economias do mundo

Da Redação

G7: Direito de defesa de Israel se transformou em vingança em Gaza, diz Lula
Ricardo Stuckert/PR

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) discursou nesta sexta-feira (14) na cúpula do G7, que reúne as maiores economias do mundo, na Itália. O petista falou sobre governança global, inteligência artificial, conflito em Gaza e a guerra na Ucrânia. 

A reunião de cúpula do G7 contará com a participação dos sete membros do grupo (Estados Unidos, Itália, França, Reino Unido, Japão, Canadá e Alemanha) e de convidados. Lula foi convidado a participar do encontro pela primeira-ministra italiana Giorgia Meloni.

“As instituições de governança estão inoperantes diante da realidade geopolítica atual e perpetuam privilégios. O ano de 2023 viu o gasto com armamentos subir em relação a 2022, chegando a US$  2,4 trilhões. Em Gaza, vemos o legítimo direito de defesa (de Israel) se transformar em direito de vingança”, declarou Lula. 

Segundo o presidente, o mundo está diante da violação cotidiana do direito humanitário, que tem vitimado “milhares de civis inocentes, sobretudo crianças e mulheres”. Por conta disso, o Brasil endossou a decisão da África do Sul de acionar a Corte Internacional de Justiça. 

Lula também reforçou que condenou, “de maneira firme”, a invasão da Ucrânia pela Rússia. “Já está claro que nenhuma das partes conseguirá atingir todos os seus objetivos pela via militar”, afirmou o presidente. 

“Somente uma conferência internacional que seja reconhecida pelas partes, nos moldes da proposta de Brasil e China, viabilizará a paz”, acrescentou.

Tópicos relacionados

Mais notícias

Carregar mais