Notícias

Galpão da Cinemateca que pegou fogo não tinha alvará do Corpo de Bombeiros

Instituição foi advertida e tem 180 dias para a regularização; prédio foi atingido por incêndio nesta quinta

da Redação 30/07/2021 • 18:40 - Atualizado em 30/07/2021 • 19:02
 Vista aérea do galpão da Cinemateca Brasileira na Vila Leopoldina
Vista aérea do galpão da Cinemateca Brasileira na Vila Leopoldina
Ronaldo Silva/Futura Press/Folhapress

O galpão da Cinemateca Brasileira que foi atingido por um incêndio de grandes proporções nesta quinta-feira (29) não possui AVCB (Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros). A instituição foi advertida e tem 180 dias para efetuar a regularização.

“Realizamos hoje uma vistoria de fiscalização na Cinemateca. Após o procedimento, a edificação, por não possuir o AVCB, foi advertida e tem o prazo de 180 dias para a regularização junto ao Departamento de Segurança e Prevenção Contra Incêndio do CBPMESP”, disse o Corpo de Bombeiros em nota enviada à Band.  

O AVBC é um documento emitido após vistoria como forma de garantir que o edifício segue as normas de segurança contra incêndios.  

Incêndio no galpão da Cinemateca Brasileira

O incêndio começou no galpão, localizado na Vila Leopoldina, zona oeste de São Paulo (SP), por volta das 18h de ontem. Ele teria se iniciado durante a manutenção do sistema de ar-condicionado. 

As primeiras informações apontam que todo o primeiro andar foi atingido pelas chamas, onde ao menos três salas que contém arquivos históricos foram consumidas pelo fogo. O teto também chegou a ceder. Cerca de 70 bombeiros atuaram na ocorrência.

Em nota, a Secretaria Especial da Cultura afirmou que “todo o sistema de climatização do espaço passou por manutenção há cerca de um mês como parte do esforço do governo federal para manter o acervo da instituição” e confirmou que pediu apoio da Polícia Federal para investigar as causas do incidente

O imóvel atingido pelo fogo não é a sede principal da instituição, que fica na Vila Clementino, mas também guarda parte de seu acervo, como a documentação do Instituto Nacional do Cinema, do Concine (Conselho Nacional de Cinema), cópias de segurança de filmes e, possivelmente, arquivos de filmes do curso de cinema da Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo (ECA-USP). 

Criada em 1940, a Cinemateca Brasileira é responsável pela preservação e difusão da produção audiovisual brasileira. Tem o maior acervo da América do Sul, formado por cerca de 250 mil rolos de filmes e mais de um milhão de documentos relacionados ao cinema, como fotos, roteiros, cartazes e livros, entre outros.

  • São Paulo